A Intel deu mais um passo em sua empreitada para descobrir como fazer com que os veículos autônomos sejam mais amigáveis para a maior parte das pessoas que, naturalmente, tem um pouco de receio acerca de uma tecnologia que ainda não está muito difundida.

De acordo com um estudo da AAA, 78% das pessoas tem medo de andar em um carro autônomo – e foi aí que a Intel resolveu atuar e convidou 10 pessoas para andarem em um veículo que anda sozinho por aí. A ideia por trás do teste, segundo o arquiteto chefe de sistemas do Autonomous Driving Group da Intel, é que as pessoas passem pela experiência em um ambiente controlado para entender melhor como tudo funciona.

Em uma primeira instância, a empresa pensava que seria necessário mostrar absolutamente tudo que o carro pretendia fazer, como tomadas de decisão em termos de rotas e outras ações que o veículo decidisse tomar. No entanto, o que aconteceu foi que a Intel descobriu que essa não é a melhor abordagem, visto que isso causa muita distração.

Além disso, a presença de um volante mexendo sozinho também causa ansiedade em alguns passageiros – o que sugere que a remoção dos elementos seja melhor. Por outro lado, a empresa descobriu que o uso de interação de voz se mostrou algo muito positivo nos autônomos, tanto para dar comandos quanto para receber os feedbacks do carro.

Apesar de ter sido feito com apenas 10 pessoas, o estudo foi uma ajuda significativa para que a Intel, que está investindo pesado nesse segmento, saiba melhor quais são os passos que devem ser dados para que a chegada dos autônomos aconteça da forma mais suave possível.