Depois de adotar o polêmico halo como medida de segurança na Fórmula 1 para 2018, a Federação Internacional de Automobilismo está estudando colocar um carro autônomo como safety-car na categoria.

Marcin Budkowski, responsável técnico da entidade que organiza a competição, disse que a intenção é trazer o carro de segurança sem motorista já nos próximos anos. Vale lembrar que a Fórmula 1 já usa o chamado “safety-car virtual”, em que não existe um carro ditando o ritmo dos veículos de corrida, mas sim um controle de velocidade geral ao longo da pista.

“Estamos estudando a possibilidade de ter um carro não pilotado. É um passo para promover uma tecnologia relativamente nova, ianda que haja algum ceticismo. No entanto, temos visto que pode funcionar e ser eficiente”, disse Budkowski em entrevista para o site Motorsport.com.

A intenção de tirar o motorista, no entanto, para no safety-car e não vai se extender aos fórmulas. “Utilizar o esporte a motor para testar essas inovações pode ser algo que entusiasme o público, além de explorar novas soluções. [...] Mas não nos sentimos atraídos em ver carros sem pilotos nas provas. Isso é uma coisa que certamente os engenheiros gostariam de ver, mas não os fãs”, explicou.

De fato, transformar a Fórmula 1 em uma categoria autônoma e elétrica não faz sentido com a existência da RoboRace e da Fórmula E – ainda assim, isso também pode significar que, no futuro, em vez se transformar a F1 pode desaparecer.