O automobilismo à combustão está diante de um futuro bem incerto: depois da Mercedes anunciar que vai eliminar seus esforços na DTM (categoria de turismo alemã) para focar na Formula E e da BMW também afirmar que vai focar nos fórmulas elétricos, a Porsche anunciou que também vai para a FE em 2019 – ao custo de seus esforços no campeonato mundial de endurance, o WEC.

A montadora de Stuttgart tomou a decisão de não injetar mais dinheiro nos avançadíssimos LMP1-H, que correm em competições como as 24 Horas de Le Mans, depois de 2010. O motivo é aceitável: esse tipo de veículo pode custar mais caro para desenvolver do que um Fórmula 1.

A Formula E, por sua vez, além de ser uma categoria substancialmente mais barata e que vai contribuir de forma direta no desenvolvimento dos carros elétricos que a marca quer lançar dentro de alguns anos.

RIP Porsche 919 e-Hybrid

Por outro lado, a Porsche ainda vai continuar com seus 911 RSR nas categorias de turismo. A montadora é a terceira alemã a anunciar sua ida para a Formula E em três semanas – e a possível terceira vítima do escândalo Dieselgate, que custou muito dinheiro ao grupo Volkswagen (que é dono de marcas como Porsche e Audi).

O resultado foi o encerramento da equipe da VW no mundial de rally, o WRC, e a saída da Audi do WEC no ano passado. A decisão da Porsche pode significar o fim da categoria LMP1-H e um futuro incerto para o WEC.