Desfragmentar o seu HD é como ter um grupo de pessoas vindo ao seu escritório no fim de semana para reorganizar cada folha que ficou espalhada em arquivos consolidados e organizados novamente. Dessa forma, quando você chegar na segunda pela manhã, tudo está no lugar.

Quando você então precisar de determinado arquivo, tudo que você precisará fazer é consultar o índice, pegar o arquivo e utilizá-lo. Não haverá necessidade de correr por todo o escritório procurando por algum documento em particular que ficou perdido.

No computador, o processo é parecido. A desfragmentação organiza os arquivos de forma que o sistema saiba exatamente onde cada um está, aumentando e muito a velocidade de acesso. Mas será que efetuar esse processo com muita frequência pode acabar por desgastar o equipamento?

Se você estiver usando um HD normal, não. Na verdade, o processo pode ainda aumentar a vida útil do equipamento. Isso porque os HDs são discos que contém os arquivos fisicamente. Dessa forma, para carregá-los, as cabeças de leitura devem se dirigir até a posição do item e, com mais fragmentação, mais os leitores deverão se movimentar.

Um HD padrão tem um tempo de pesquisa de aproximadamente 16ms. Se um arquivo está fragmentado em 20 partes, as cabeças de leitura levarão em torno de 320ms para efetivamente carregar todas as partes do documento.

Por outro lado, para os novos equipamentos de armazenamento, os SSDs, esse processo não é aconselhável. Isso porque o SSD já possui um tempo de pesquisa e carregamento extremamente pequeno em relação aos HDs padrão (0,1ms). Consequentemente, o ganho com a desfragmentação seria mínimo.

Quanto ao limite de gravação, um SSD tem uma expectativa de vida de aproximadamente 10 mil escritas. Ou seja, uma desfragmentação frequente, além de não trazer benefícios para esse tipo de equipamento, ainda irá diminuir a vida útil do mesmo.

Se você quiser mais informações de como e porque desfragmentar seu disco rígido, acesse esse artigo do Tecmundo.

Cupons de desconto TecMundo: