Em crise, Netflix demite mais de 150 funcionários

1 min de leitura
Imagem de: Em crise, Netflix demite mais de 150 funcionários
Imagem: Pixabay
Avatar do autor

A má fase da plataforma de streaming Netflix ainda não passou e continua gerando consequências nos bastidores. Desta vez, a empresa passou por uma nova rodada de demissões, com 150 funcionários sendo dispensados.

Segundo o site Deadline, que obteve confirmação com a própria marca, a maior parte dos colaboradores afetados pela medida trabalhava nos Estados Unidos. Eles estariam distribuídos entre setores de criação, mas há também executivos em cargos mais elevados, inclusive responsáveis por conteúdos originais.

Rumores apontavam que a divisão que cuida da distribuição de filmes independentes também poderia ser afetada, mas essa especulação foi posteriormente negada.

O que aconteceu?

Fora as demissões recentes, a companhia já tinha dispensado funcionários que cuidavam do projeto Tudum, um site de notícias sobre os conteúdos da plataforma. Funcionários do alto escalão da empresa estariam preocupados com essas e outras mudanças que ainda devem acontecer.

Esses são reflexos do último relatório fiscal da companhia, quando ela relatou a primeira queda na base de usuários em uma década — o que gera também redução nas receitas — e perdeu um valor considerável de mercado por desvalorização nas ações.

Além do corte de gastos, a plataforma desenvolve uma versão mais barata do plano de assinatura com anúncios e pensa também em investir em transmissões ao vivo de programas.

O que diz a Netflix

Em nota ao site Deadline, a Netflix explicou as dispensas como corte de custos.

"Como explicamos no relatório, a desaceleração da receita significa que temos que reduzir os gastos de crescimento como uma companhia. (...) Essas mudanças são direcionadas primeiramente por necessidades comerciais e não desempenho individual, o que torna isso especialmente duro já que nenhum de nós gostaria de dizer adeus a tantos bons colegas. Estamos trabalhando firme para apoiá-los nessa transição difícil", diz a nota.

News de tecnologia e negócios Deixe seu melhor e-mail e welcome to the jungle.