Se você acompanha notícias da Microsoft ou é um desenvolvedor independente, deve ter lido na última sexta-feira (1) que a gigante de Redmond estaria costurando um acordo para adquirir o maior repositório de códigos de desenvolvimento do mundo, o GitHub. No último domingo (3), a Bloomberg antecipou que o negócio já estaria pronto e seria anunciado ainda hoje (4).

Agora, a Microsoft vem a público confirmar a novidade: a companhia fechou um acordo de US$ 7,5 bilhões para trazer o GitHub para os seus domínios. "A Microsoft é uma companhia que privilegia o desenvolvedor e, unindo forças ao GitHub, nós fortalecemos o nosso comprometimento com a liberdade, a receptividade e a inovação do desenvolvedor", celebrou o presidente da empresa Satya Nadella.

Esse novo ciclo da Microsoft, que ganha mais um capítulo com a aquisição do GitHub, teve início em 2014, quando Nadella assumiu o cargo de presidente-executivo da empresa. Ali, a MS passava a deixar o mercado de smartphones em segundo plano e voltava a se dedicar com força para soluções de software e na nuvem. Nesse meio tempo, a companhia se juntou à Linux Foundation e, inclusive, se tornou a maior contribuidora do próprio GitHub.

Microsoft + GitHubChris Wanstrath (esq.), presidente e cofundador do Github, ao lado de Satya Nadella (centro), presidente da Microsoft, e Nat Friedman, vice-presidente de serviços aos desenvolvedor da MS.

O valor de US$ 7,5 bilhões serão pagos pela Microsoft em forma de ações, ou seja, a negociação não envolve dinheiro propriamente dito. O negócio, agora, está sujeito a aprovação por parte das autoridades regulatórias dos Estados Unidos.

GitHub permanece independente

A Microsoft tenta acalmar a natural preocupação dos mais de 28 milhões de desenvolvedores que utilizam o GitHub sobre qual será o futuro da plataforma. Segundo informa em seu site oficial, o repositório continuará mantendo o "ethos que privilegia o desenvolvedor" e "vai operar independentemente para oferecer uma plataforma aberta para todos os desenvolvedores de todas as indústrias."

Parte dessa iniciativa inclui a contratação de Chris Wanstrath, cofundador e presidente do GitHub, como executivo da plataforma dentro da Microsoft. A partir de agora, ele se reportará ao vice-presidente executivo da MS Scott Guthrie para "trabalhar em iniciativas estratégicas de software", informa a companhia de Redmond.

Empoderar desenvolvedores

Em texto publicado no blog oficial da Microsoft, Nadella afirma que a objetivo primordial da Microsoft com esse negócio é "empoderar os desenvolvedores em cada estágio do ciclo de desenvolvimento". Assim, ele também garante que o GitHub permanecerá uma plataforma independente, aberto a qualquer iniciativa, para qualquer fim ou dispostivo — em suma, nada deve mudar radicalmente.

O segundo objetivo da Microsoft nessa nova fase, revela o seu presidente, é "acelerar o uso do GitHub por parte de desenvolvedores empresariarias". Para isso, a companhia promete manter um canal aberto entre possíveis clientes e as suas equipes de vendas e parcerias para fornecer serviços e infraestrutura de nuvem da MS.

"Por fim, traremos as ferramentas e serviços de desenvolvedores da Microsoft para novas audiências", anuncia Nadella. Enfim, a Microsoft tenta reforçar cada vez mais a sua posição como uma plataforma de desenvolvimento preparada para atender a todos os públicos.

[atualizado às 11h14 para incluir a confirmação de compra por parte da Microsoft]