Amazon vence contrato da NSA de R$ 51 bilhões e irrita Microsoft

1 min de leitura
Imagem de: Amazon vence contrato da NSA de R$ 51 bilhões e irrita Microsoft
Imagem: Salvador Rodriguez/Reuters
Avatar do autor

A Amazon Web Services (AWS) venceu um contrato de US$ 10 bilhões, cerca de R$ 51 bilhões em conversão direta, para fornecer servidores na nuvem para a Agência de Segurança Nacional (NSA). Entretanto, a Microsoft já registrou uma ação judicial no Government Accountability Office para tentar reverter a decisão.

Conforme o Washington Technology, a empresa derrotada alega que a agência de inteligência não realizou a avaliação adequada ao selecionar o fornecedor do projeto WildandStormy. Um porta-voz da NSA confirmou o contrato e a ação em questão.

Microsoft pressiona a NSA pela revisão do contrato com a Amazon.Microsoft pressiona a NSA pela revisão do contrato com a Amazon.Fonte:  News Quick 24/Reprodução 

A NSA planeja uma “iniciativa de computação híbrida” para atender aos requisitos de processamento e análise. A agência também pretende manter os dados de inteligência, embora isso não precise de tanto espaço de armazenamento.

Apesar da AWS suprir diversos serviços na nuvem ao governo americano, a Microsoft também se tornou um excelente fornecedor. Em 2020, a companhia dividiu um contrato da CIA com mais cinco empresas — incluindo a Amazon.

Para mais, a dona do Windows revelou estar buscando o credenciamento do governo dos EUA para a expansão do Azure Government Top Secret. O objetivo é "atender à demanda por maior agilidade em armazenamento de itens confidenciais."

Cenário da disputa judicial é semelhante ao projeto JEDI em 2020.Cenário da disputa judicial é semelhante ao projeto JEDI em 2020.Fonte:  Bloomberg Finance/Reprodução 

Retorno a briga do projeto JEDI

A nova disputa judicial relembra a briga entre a Amazon e a Microsoft pelo contrato do Joint Enterprise Defense Infrastructure (JEDI). Após o Departamento de Defesa dos EUA escolher o Azure como plataforma, a gigante do e-commerce pediu a revisão do acordo.

Na época, a Amazon alegou que “erros e preconceitos inconfundíveis” afetaram a escolha da contratação. Isso porque o ex-presidente Donald Trump, conhecido por ter divergências com o antigo CEO Jeff Bezos, teria supostamente interferido nas negociações.

Assim, o Pentágono suspendeu o contrato de US$ 10 bilhões com a Microsoft e optou por uma solução ampla com vários fornecedores. Então, especialistas acreditam que o projeto WildandStormy pode ter um destino semelhante.

News de tecnologia e negócios Deixe seu melhor e-mail e welcome to the jungle.