Toyota compra divisão de carros autônomos da Lyft por US$ 550 milhões

1 min de leitura
Imagem de: Toyota compra divisão de carros autônomos da Lyft por US$ 550 milhões
Imagem: Reprodução
Avatar do autor

Mais uma empresa de corridas por aplicativo está abrindo mão de veículos autônomos próprios. Desta vez, em uma transação que envolverá US$ 550 milhões, a Lyft venderá sua divisão de nível 5 para uma subsidiária da Toyota, a Woven Planet Holdings, um negócio que deve ser fechado no primeiro trimestre de 2021 e encerra uma jornada de quatro anos da companhia.

Manter projetos do tipo é algo custoso, e o objetivo da Lyft, que, em 2017, contratou centenas de engenheiros para trabalharem em sua instalação de mais de 4,5 mil metros quadrados localizada na Califórnia e adquiriu, em 2018, a startup de realidade aumentada Blue Vision Labs por US$ 72 milhões para acelerar seus esforços, não chegou nem perto de se concretizar.

Apesar de ter afirmado na época que, até este ano, grande parte de sua frota seria formada pelas unidades que pretendia colocar nas ruas de Las Vegas e de alguns sucessos técnicos, grande parte dos veículos ativos é apenas direcionada a testes – e está bem longe de ser utilizada em massa. Com a Toyota, por outro lado, as coisas podem mudar.

Acordo encerra trajetória de quatro anos da Lyft.Acordo encerra trajetória de quatro anos da Lyft.Fonte:  Reprodução 

Trajetória consistente

Na transação, a montadora japonesa concordou em utilizar os dados e a plataforma da Lyft para qualquer serviço que venha a lançar sob a marca Woven Planet Holdings e deve aplicar toda a sua experiência já adquirida com carros autônomos ainda desconhecidos.

Aliás, ela já ofereceria soluções do segmento durante os Jogos Olímpicos de Verão de Tóquio, adiados pela pandemia da covid-19. Além disso, investiu, em 2020, US$ 400 milhões na Pony.ai, uma startup autônoma com sede nos Estados Unidos e na China.

Toyota se dedica há um bom tempo a veículos autônomos.Toyota se dedica há um bom tempo a veículos autônomos.Fonte:  Reprodução 

Dentre outras ações, desenvolveu um software autônomo chamado "Chauffeur"; um sistema avançado de assistência ao motorista semelhante ao piloto automático da Tesla, o "Guardian"; e vem realizando testes em suas instalações de campo fechado em Michigan há vários anos.

Agora, a companhia cedeu US$ 200 milhões à Lyft antecipadamente e fornecerá o restante pelos próximos cinco anos, gerando uma economia anual de US$ 100 milhões à sua parceira.

News de tecnologia e negócios Deixe seu melhor e-mail e welcome to the jungle.