Bolsonaro decide comprar CoronaVac, a vacina chinesa para covid-19

1 min de leitura
Imagem de: Bolsonaro decide comprar CoronaVac, a vacina chinesa para covid-19
Imagem: Xinhua/Reprodução
Avatar do autor

Após resistência, o governo federal decidiu comprar a vacina CoronaVac, produzida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan no Brasil, para utilizá-la na imunização da população. A informação foi divulgada ontem (16) pelo Blog do Camarotti.

Segundo o comentarista político da GloboNews Gerson Camarotti, a negociação foi feita pelo assessor especial do Ministério da Saúde Eduardo Cascavel, durante encontro com o diretor do Butantan Dimas Covas e o secretário especial e chefe do Escritório de Representação do Estado de São Paulo em Brasília Antonio Imbassahy, na última segunda-feira (14).

Na reunião, o assessor do ministro da saúde Eduardo Pazuello fechou a compra da CoronaVac, conforme a fonte ouvida por Camarotti, e afirmou que ela será incluída no Plano Nacional de Imunização contra o novo coronavírus, apresentado pelo governo nessa quarta-feira (16). Agora, o instituto paulista aguarda o envio de uma carta oficial do órgão, manifestando a intenção em “caráter irrevogável e irretratável” de fechar o negócio.

A CoronaVac será aplicada em duas doses.A CoronaVac será aplicada em duas doses.Fonte:  Sinovac/Divulgação 

É válido lembrar que o Ministério da Saúde chegou a anunciar a aquisição de 46 milhões de doses do imunizante chinês no dia 20 de outubro. Mas logo após a divulgação do acordo, o presidente Jair Bolsonaro mandou cancelar o negócio, desautorizando Pazuello publicamente.

Resultados dos testes da vacina

O envio dos resultados da última fase do ensaio clínico da CoronaVac para a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) será feito no próximo dia 23. Inicialmente, o Butantan revelaria os dados no dia 15, mas a mudança de estratégia tem um motivo.

A ideia da instituição é disponibilizar os dados completos da fase 3 do estudo para a agência reguladora e, assim, solicitar o registro definitivo da vacina, em vez de pedir apenas a autorização para uso emergencial do imunizante.

Em São Paulo, a previsão do governo estadual é iniciar a vacinação no dia 25 de janeiro, conforme o cronograma divulgado pelo governador João Doria.

News de tecnologia e negócios Deixei seu email aqui, e welcome to the Jungle.
Bolsonaro decide comprar CoronaVac, a vacina chinesa para covid-19