Steve Wozniak processa YouTube por golpe envolvendo criptomoedas

1 min de leitura
Imagem de: Steve Wozniak processa YouTube por golpe envolvendo criptomoedas
Imagem: Wikimedia Commons
Essa não é uma matéria patrocinada. Contudo, o TecMundo pode receber uma comissão das lojas, caso você faça uma compra.
Avatar do autor

O cofundador da Apple Steve Wozniak entrou com uma ação contra o YouTube ontem (22), depois que a empresa não atendeu aos pedidos dele para derrubar vídeos nos quais seu nome e sua imagem são usados para divulgar uma oferta falsa de bitcoins. O golpe é semelhante ao aplicado via Twitter, na semana passada, utilizando contas verificadas de famosos.

De acordo com a Bloomberg, os golpistas estão utilizando imagens e vídeos de Wozniak para convencer quem está assistindo de que se trata de um evento ao vivo e verídico. Além dele, também são usados os nomes do cofundador da Microsoft Bill Gates e do CEO da Tesla Elon Musk.

Na fraude, as celebridades da tecnologia aparecem supostamente apoiando uma oferta por tempo limitado, na qual quem enviar sua criptomoeda receberá o dobro da quantia compartilhada. Porém, nenhum usuário que transferiu seus bitcoins recebeu nada em troca, obviamente.

Conforme a denúncia, dezenas de milhões de dólares em criptomoeda foram perdidos no golpe.Conforme a denúncia, dezenas de milhões de dólares em criptomoeda foram perdidos no golpe.Fonte:  Unsplash 

O processo movido por Wozniak e 17 vítimas da fraude, de vários países, pede ao tribunal que ordene ao YouTube a remoção imediata dos vídeos e a emissão de alertas sobre o golpe. Na ação, também são solicitadas indenizações e punições para a plataforma de vídeos da Google e à sua controladora, a Alphabet.

YouTube já foi processado por casos semelhantes

Em outros casos semelhantes a este, que resultou na ação do cofundador da Apple, como no processo movido pela empresa de criptomoedas Ripple Labs, o serviço de vídeos se defendeu citando a Lei de Decência nas Comunicações aprovada pelo Congresso dos Estados Unidos em 1996.

Segundo a plataforma, a legislação isenta os provedores de internet de qualquer responsabilidade em relação aos conteúdos postados pelos usuários, incluindo as fraudes.

A empresa foi bastante criticada por Wozniak, que mencionou a ação do Twitter, derrubando o golpe do bitcoin no mesmo dia, como exemplo.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Steve Wozniak processa YouTube por golpe envolvendo criptomoedas