Sony tem pior trimestre mobile da história com apenas 600 mil celulares

1 min de leitura
Imagem de: Sony tem pior trimestre mobile da história com apenas 600 mil celulares
Essa não é uma matéria patrocinada. Contudo, o TecMundo pode receber uma comissão das lojas, caso você faça uma compra.
Avatar do autor

A Sony continua lutando para sobreviver no mercado de smartphones, mas as coisas não estão fáceis para a fabricante japonesa. Recentemente, a companhia apresentou seu novo relatório fiscal e revelou que comercializou apenas 600 mil celulares nos últimos três meses. Para se ter uma ideia de quão baixo é o número, a Huawei vende essa quantidade de aparelhos por dia, segundo o Phone Arena.

Graças ao desempenho abaixo da média, a firma diminuiu suas expectativas para o ano drasticamente. Antes, a companhia esperava terminar o ano fiscal de 2019 com cerca de 5 milhões de smartphones vendidos. Depois de números fracos entre abril e junho, a perspectiva caiu para 4 milhões. Agora, após os resultados do último trimestre, a Sony espera que 3,5 milhões de celulares da marca sejam comercializados até março de 2020.

Apostas de recuperação

(Fonte: Engadget/Reprodução)

Baseado nos relatórios anteriores da companhia, o Phone Arena estima que a empresa precisa vender cerca de 2 milhões de dispositivos nos próximos dois trimestres para alcançar sua meta. O desafio no momento é encontrar formas de chamar a atenção na temporada de feriados, já que os três primeiros meses do ano costumam ser desafiadores no mercado de smartphones.

As principais apostas da firma são os smartphones Xperia 1, lançado no começo do ano, e também o novo Xperia 5, que traz câmera tripla, display HDR e corpo compacto. Ainda assim, se as coisas não derem certo, a Sony prometeu aos investidores que o segmento mobile vai dar lucro até o começo de 2021, quando a empresa já deve ter lançado no mercado algum de seus dispositivos com conexão 5G.

News de tecnologia e negócios Deixei seu email aqui, e welcome to the Jungle.
Sony tem pior trimestre mobile da história com apenas 600 mil celulares