Não é a primeira vez que Elon Musk, diretor executivo da Tesla e da SpaceX, faz críticas à forma como os jornalistas noticiam o que acontece nas empresas dele. Há pouco mais de uma semana, Musk reclamou da cobertura de um acidente envolvendo a motorista de um Model S que não estava atenta à estrada enquanto deixou o modo Autopilot do automóvel ligado.

Mas dessa vez parece que a rixa pode terminar com a criação de um novo serviço. Em uma série de tweets, Musk prometeu criar um site onde qualquer pessoa poderia votar no nível de credibilidade de jornalistas, editores ou publicações. A ideia dele é chamar o projeto de Pravda, mesmo nome do jornal fundado por Leon Trótski que foi um dos principais meios de comunicação da União Soviética durante a Guerra Fria.

Uma companhia com esse nome até já existe e está registrada nos Estados Unidos com o mesmo endereço da Boring Company e da Neuralink, outras duas empresas fundadas por Musk. No entanto, não seria a primeira vez que ele fala em criar algo novo sem deixar claro se a afirmação é uma piada ou não, como parece ter feito quando prometeu criar uma empresa de doces ou um dragão-robô.

Como esperado, o comentário resultou em algumas horas de discussão com jornalistas que apontaram problemas na ideia de ranquear pessoas pelo “nível de verdade” dos artigos escritos por elas. Musk disse ainda que os jornalistas atuais vivem sob constante pressão para maximizar a quantidade de cliques nas notícias e que eles seriam influenciados pelo dinheiro dos anúncios das grandes companhias de petróleo e gasolina.

Esse último ponto também foi criticado, especialmente pelo fato de uma das principais reportagens investigativas publicadas sobre a Tesla recentemente ter sido feita por uma organização sem fins lucrativos, que encontrou diversos problemas nas medidas de segurança das fábricas da empresa, incluindo a retirada de marcações amarelas em áreas perigosas por Musk não gostar dessa cor.

Apesar da discussão, o empresário parece ter baixado o tom na manhã desta quinta-feira (24), embora possa ser cedo para tomar uma conclusão do tipo. De qualquer maneira, Musk retweetou um comentário afirmando que nem todos os jornalistas ou publicações são ruins e que uma sociedade livre precisa de uma imprensa com credibilidade, algo que não pode ser alcançado caso as pessoas parem de confiar na instituição.