Donald Trump disse no Twitter que quer salvar a ZTE. A empresa chinesa foi proibida, em abril, de adquirir componentes de qualquer empresa dos Estados Unidos por ter supostamente violado uma sanção comercial imposta ao Irã pelo país norte-americano. Em decorrência disso, ela anunciou o fim de suas atividades na última semana.

Para evitar a perda de “muitos empregos na China”, Trump anunciou que trabalha em parceria com o mandatário chinês Xi Jinping para que a empresa não feche as portas. O presidente dos EUA garante já ter instruído o Departamento de Comércio do país para que leve a medida adiante.

“O presidente Xi, da China, e eu estamos trabalhando juntos para dar à imensa companhia chinesa de telefones ZTE uma maneira de voltar aos negócios rapidamente” escreveu Trump em seu perfil no Twitter. “Muitos empregos perdidos na China. O Departamento de Comércio já foi instruído para fazer isso acontecer.”

Até agora, porém, nenhuma outra informação mais concreta foi revelada pela China ou pelos Estados Unidos sobre como se dará o processo de “desbanimento” da ZTE para voltar a negociar com companhias estadunidenses.

China elogia Trump

Apesar da pouca informação, um comunicado oficial vindo da China elogia a atitude do presidente dos Estados Unidos. “Aplaudimos a atitude positiva dos Estados Unidos a respeito da ZTE e seguimos em estreita comunicação com eles”, relatou o porta-voz da diplomacia chinesa, Lu Kang, à AFP.