O ex-engenheiro da Uber Anthony Levandowski não para de se complicar. Depois de ser acusado de roubar documentos da Waymo, companhia-irmã da Google, a sua antiga empregadora, o profissional é acusado também de espionar a Tesla. A fonte das novas acusações é o processo movido por Erika Wong, ex-babá dos filhos de Levandowski, no qual constam inúmeras citações comprometedoras.

O documento do processo tem 81 páginas e traz acusações graves, como a de que Levandowski estava subornando um funcionário da Tesla para obter informações sobre os caminhões Semi, anunciados pela companhia de Elon Musk em novembro de 2017.

Wong conta ter ouvido o ex-engenheiro da Uber falando com a sua madrasta ao telefone e dizendo a ela para ter “certeza de que Pat Green seja pago”. O mesmo nome teria sido ouvido por Wong também em diversas outras ocasições, como em conversas com Randy Miller, amigo de faculdade e sócio do engenheiro em diversos negócios, e os irmãos de Anthony.

Anthony LewandoskiAnthony Lewandoski está envolvido em mais acusações.

De acordo com a Wired, Pat Green pode ser Patrick Green, um engenheiro sênior responsável pelo desenvolvimento de novos produtos da Tesla, conforme indica o seu perfil no LinkedIn. Apesar do relato de Wong, nenhuma evidência pública aproxima Levandowski e Green e a Tesla não emitiu qualquer posição a respeito do tema.

Contudo, vale lembrar que Anthony Levandowski é o principal acionista da startup Otto Trucking, que pertence à Uber e desenvolve justamente caminhões autônomos. Essa empresa foi acionada como corréu no processo movido pela Alphabet, dona da Waymo, contra Levandowski e a Uber.

Mais conversas e acusações

Ainda em outra conversa, Erika Wong teria ouvido Levandowski falar com o seu irmão sobre “manter os pagamentos a Haslim e os outros”, possivelmente em uma referência a James Haslim, engenheiro de lidar contratado pelo próprio Levandowski para a sua startup Tyto Lidar. A Tyto foi adquirida pela Otto Trucking, que posteriormente foi adquirida pela Uber. A empresa de compartilhamento de caronas não se posicionou sobre o tema.

A publicação cita ainda acusações feitas por Wong de que o seu antigo patrão estaria vendendo segredos empresariais, tecnologia lidar e também processadores para consumidores finais. Ela sugere até mesmo que ele teria participado secretamente da formação de outra startup do setor de veículos autônomos, a Argo.AI. A empresa nega a acusação.

Erika Wong trabalhou para Anthony Levandowski entre dezembro de 2016 e junho de 2017 e pede uma indenização de US$ 6 milhões por violação de direitos trabalhistas. Uma audiência inicial está marcada para abril deste ano.

Cupons de desconto TecMundo: