Em 2014, a Mozilla começava um namoro de cinco anos com o Yahoo!, fazendo dele sua principal fonte de pesquisa no Firefox. Só que a entrada da Verizon, que comprou o Yahoo! no meio do ano, mudou um pouco as coisas. O Google voltou a ser a plataforma de procura oficial do navegador e agora essa parceria foi parar na Justiça.

Mozilla trocou a Google pelo Yahoo! em 2014 por sedutores US$ 300 mil ao ano e especialmente devido a uma cláusula contratual que permite alteração do buscador padrão e mantém os pagamentos normalmente até 2019. A ex-CEO Marissa Mayer assinou um acordo imprudente: ela topou incluir essa proteção para o browser, para o caso de mudança de direção. Obviamente, a executiva não contava com a compra de sua companhia pela Verizon e usou essa “cortesia” como forma de cravar seu produto no Firefox.

Como sabemos, o cenário não é o mesmo e assim o Yahoo! protocolou no dia 1º de dezembro uma ação contra a Mozilla na Suprema Corte da Califórnia, alegando quebra de contrato e de pacto de boa-fé. A empresa pede compensações financeiras pelos prejuízos causados com sua saída do Firefox, assim como as custas judiciais e outros possíveis danos.

Já a Mozilla acusa o Yahoo! de atrasar o envio da verba anual relativa ao combinado em 2014. Essa novela ainda deve render bastante e continuamos acompanhando para ver onde isso vai dar.

Cupons de desconto TecMundo: