É inevitável que estudantes, profissionais e turistas com viagem marcada para a China se assustem com a forma como o país tem fechado os seus portões quando o assunto é a conexão ao exterior via internet. Essa postura autoritária e protecionista do governo local tem feito com que diversas companhias populares no Ocidente tenham presença mínima ou nula por lá, impedindo que você possa conferir suas mensagens no Gmail ou faça um check-in no Facebook quando estiver na Grande Muralha.

Claro que, diante desse cenário, diversas empresas locais acabaram ganhando destaque e preencheram muitas das brechas deixadas pelos competidores externos. Afinal, querendo ou não, a China ainda é um mercado massivo e cheio de potencial a ser explorado. Sendo assim, é natural que muitas dessas marcas assumissem uma relação de equivalência em relação a nomes como YouTube, Twitter, Amazon e muitas outras gigantes da internet e do mundo da tecnologia.

A lista é bastante curiosa

Para dar um gostinho dessa peculiaridade do ecossistema chinês, o pessoal do Business Insider compilou algumas das companhias que mais se assemelham às suas contrapartes ocidentais. Será que isso é o suficiente para que sua passagem pelo país seja mais tranquila? Difícil dizer. Porém, é certo afirmar que a lista é bastante curiosa e mostra que, de um jeito ou de outro, os empresários asiáticos são craques em emular os sucessos estrangeiros.

1. Google vs “você sabe quem”

Para encabeçar a listagem, fica difícil não começar com a Baidu. Gigantesca em sua terra natal e conhecida pelos motivos errados entre o público ocidental, a empresa é o mais claro equivalente à Google. O Baidu possui o motor de busca mais popular da China, tem seu próprio aplicativo de mapas, opera no setor de armazenamento na nuvem e, de quebra, vem desenvolvendo seu próprio carro autônomo. E aí, tá bom ou quer mais?

2. Muitas querem ser a Apple

Quando se fala em um “Apple chinesa” é complicado apontar o dedo em uma direção só. A Huawei seria a mais equivalente em tamanho e renda, já que a marca domina o mercado mobile local e ainda oferece diversos dispositivos premium – que, infelizmente, nunca chegam ao Brasil. Porém, no quesito inspiração e design, são a Xiaomi e a Meizu que mais se aproxima da Maçã, trazendo produtos que muitas vezes podem ser confundidos com os iPhones por usuários desavisados.

3. Gigante como o Facebook

Além de andar arrastando suas asinhas para o mundo lucrativo dos jogos – sendo a atual acionista majoritária na Riot Games, dona do League of Legends –, a Tencent é um monstro das plataformas sociais e mensageiros na China. Basta ver que o principal produto da casa, o WeChat, conta com 1 bilhão de usuários mensais só no país. Vale notar que o app, no entanto, é muito mais completo que o Facebook, já que ele mistura mural social, chat, central de notícias e muito mais em um único lugar.

4. Duas Amazon

Todo mundo sabe que a Amazon chinesa é o Alibaba, certo? Afinal, a empresa fundada por Jack Ma é referência no setor de e-commerce, tem o equivalente local ao eBay e, como se tudo isso não bastasse, também anda despontando no segmento cloud – um setor liderado pela companhia de Jeff Bezos nos EUA. O que muita gente não sabe é que JD.com também possui uma parcela bem relevante do comércio online na China, além de brincar com entregas via drone do mesmo jeito que a Amazon.

5. A próxima Uber?

Enquanto no Ocidente todo mundo briga para ser a tal da “próxima Uber” a Didi Chuxing já vem fazendo esse trabalho com folga em terras chinesas. Na verdade, a briga com a empresa criada por Travis Kalanick foi tão feia por lá que levou a uma guerra de preços que culminou na Didi absorvendo toda a operação da Uber na China. Vitória brutal da marca local.

6. Como o Twitter? Não, melhor!

Origem de nove entre cada dez vazamentos do mundo da tecnologia, a Weibo seria a rede social chinesa mais próxima do Twitter. A plataforma oferece uma série de recursos semelhantes aos do Facebook, mas como é a interface de microblog que mais chama atenção, a comparação é até justa. Vale notar, porém, que Jack Dorsey pode aprender um bocado com a Weibo, já que o app fruto da parceria entre Sina e Alibaba vem crescendo em ritmo muito rápido, diferentemente do Twitter.

7. Porta de entrada até para a Netflix

O produto mais similar ao serviço de streaming de vídeo favorito de boa parte dos internautas ocidentais não poderia ser outro senão o iQiyi – que faz parte do portfólio da Baidu. O portal de vídeo sob demanda tem um catálogo gigantesco, anda investindo uma grana em produções próprias e tem um plano de assinatura bem parecido com o da empresa norte-americana. Um detalhe interessante é que a Netflix acabou licenciando seu conteúdo original para o iQiyi por não conseguir superar as barreiras de entrada do mercado chinês.

8. Monopólio do streaming de música

Procurar um equivalente chinês a serviços como Spotify, Apple Music, Tidal, Pandora e outros é algo que realmente não dá trabalho. Afinal, a Tencent domina esse mercado com mão de ferro. Além de ter criado o QQ Music, líder do setor na China, a companhia comprou recentemente os apps de seus principais concorrentes: o KuGou e o Kuwo. Com as aquisições, a estimativa é que a empresa tenha mais de 70% do mercado para si.

9. Um Tinder para chamar de seu

Não há nenhum segredo aqui: o Tantan é uma cópia praticamente exata do Tinder para o público chinês. O aplicativo permite deslizar os pretendentes para a esquerda ou para a direita quando você estiver em busca da sua alma gêmea – ou de um encontro rápido – e tem uma das proporções mais equilibradas entre usuários masculinos e femininos: são 60% de homens contra 40% de mulheres. Nada mal, hein?

Bônus: um YouTube que não deu certo

Se uma plataforma pudesse ser comparada diretamente ao site de vídeos da Google, ela provavelmente seria a Youku. O problema é que a cria do Alibaba não deslanchou como o YouTube e anda sofrendo para manter seus usuários engajados. Isso acontece porque o governo chinês mantém os olhos atentos para todo material transmitido no sistema, impedindo que os internautas locais se sintam confortáveis em produzir conteúdo para o Youku.

Cupons de desconto TecMundo: