Desde que o Spotify abriu oferta pública na Bolsa de Valores, várias mudanças vêm sendo realizadas para modernizar a plataforma e agradar aos investidores. Entre as alterações, a plataforma adicionou recentemente uma nova cláusula em sua política de conteúdo, o que causou muitas reações negativas — principalmente porque o serviço de streaming musical baniu músicos populares, a exemplo do rapper XXXTentacion e do compositor R. Kelly. Agora, a companhia admite que errou e reintegra as faixas dos artistas.

Nova política tinha como alvo os artistas que já demonstraram  uma conduta agressiva fora dos palcos

A chamada “conduta de ódio” passou a ser aplicada sobre os nomes que já se envolveram em casos de violência. XXXTentacion acumula uma lista de acusações, incluindo agressão a uma mulher grávida, e R. Kelly já foi citados várias vezes por assédio sexual e pornografia infantil. A ideia de negar promoção para quem andou fora da linha é até louvável, contudo, os critérios nebulosos logo causaram questionamento — e os outros músicos que já tiveram conexão com o nazismo ou foram flagrados em episódios racistas, por exemplo.

Todo o barulho causado pelos fãs e pelos próprios profissionais e gravadoras deu resultado. "Fizemos isso do jeito errado, poderíamos ter realizado um trabalho melhor. O objetivo com isso era garantir que não tivéssemos discursos de ódio. Nunca se tratou de punir um artista individual ou mesmo nomear um artista individual”, assumiu o CEO Daniel Ek, que considerou a iniciativa muito ambígua e “aberta a interpretações”.

Essa atitude vem em um momento que pode ser chave para o crescimento da companhia na temporada, pois ela já conta com queda de US$ 49 milhões na receita do primeiro trimestre deste ano. Entre os concorrentes, o Pandora agora conta com um novo plano familiar de US$ 15, a Apple Music diz ter chegado aos 50 milhões de usuários e o Deezer atua com mais amplitude nos Estados Unidos. Por isso, é bom o Spotify abrir o olho e evitar medidas que diminuam ainda mais seu apelo e biblioteca.

spotifyConteúdo de XXXTentación está acessível novamente

O material de R. Kelly e XXXTentacion, entre outros que acabaram ficando de fora temporariamente, já está restabelecido. Ainda não há previsão de quando serão apresentadas novas propostas sobre esse assunto, em uma política revisada, e, por enquanto, os representantes dos artistas ainda não comentaram a decisão.