Apps de namoro, como Tinder, GrindrParPerfeito e outras ferramentas, se tornaram muito populares nos últimos anos e acabaram com aquele receio de encontrar pessoas pela internet. Não muito tempo atrás, esse tipo de encontro era bastante malvisto, como se fosse a última opção para os desesperados. Hoje a história é completamente diferente, e os solteiros que não estão em nenhum app de relacionamento é que podem ser vistos como estranhos.

Junto com isso, surgiu um novo mercado, e os pretendentes possuem uma infinidade de opções de namoro e pegação nas lojas de apps do Android e do iOS. Mas parece que janeiro é o mês do ano em que as pessoas estão mais empenhadas em encontrar um novo amor, ou pelo menos uma nova diversão.

Havia um questionamento; pode ser as férias, pode ser o verão, mas verão e férias a gente já tem desde dezembro

De acordo com Marcos Moraes, presidente do Grupo Match para a América Latina, isso está relacionado com as promessas que as pessoas fazem para si mesmas na virada do ano. “Isso a gente vê no mundo inteiro, por isso acabamos concluindo que o boom de janeiro é devido a resoluções de Ano-Novo mesmo. Havia um questionamento; pode ser as férias, pode ser o verão, mas verão e férias a gente já tem desde dezembro”, detalhou Moraes ao TecMundo.

Ele explica que o crescimento no número de usuários ativos em janeiro é disparadamente maior que em qualquer outro período do ano, e isso se aplica a todas as marcas do grupo, o que inclui Match.com, ParPerfeito, Tinder, Be2 e muitos outros. “Todas as empresas do Grupo Match no mundo têm a mesma sazonalidade”, detalhou. O crescimento de dezembro para janeiro de acordo com Moraes é de 35%, a maior taxa do ano. Depois do Ano-Novo, a data mais importante para os apps de namoro é o Dia dos Namorados, e o Carnaval também tem tráfego mais intenso que o normal.

Grátis x Pago

É interessante destacar que a maioria dos apps de encontros do Grupo Match contam com ferramentas gratuitas e alguns recursos disponíveis apenas para assinantes. Portanto, um crescimento de 35% em usuários em 1 mês pode render alguns milhões de reais em assinaturas.

Apesar disso, muita gente desiste dessas plataformas em 6 ou 8 meses. Entre os assinantes brasileiros dos apps da Match, 2 mil pessoas por mês afirmam estar cancelando por terem encontrado alguém para um relacionamento sério.