O YouTube anunciou hoje (01) por meio de seu blog oficial que vai começar a aplicar um tratamento mais duro para vídeos violentos ou extremistas, mesmo que eles não sejam ilegais ou não violem seus termos de uso. Essa ação faz parte de um novo esforço da plataforma para não dar voz ao discurso de ódio e conter a publicação de conteúdo ofensivo ou terrorista.

Esses vídeos serão identificados especialmente pelo reporte de usuários que denunciarem alguma postagem como ofensiva, violenta ou com potencial para estar em desacordo com os termos de uso do site. Esses itens não serão tirados do ar, mas acabarão escondidos ou isolados do restante da plataforma.

Não serão recomendados, não serão monetizados e não terão funções como comentários

“Se identificarmos que esses vídeos não violam nossas políticas, mas que tenham conteúdo religioso controverso ou suprematista, eles serão colocados em um estado limitado. Esse vídeos permanecerão no YouTube, mas ficarão isolados, não serão recomendados, não serão monetizados e não terão funções como comentários, vídeos sugeridos e curtidas”, discorre o comunicado.

Esse novo tratamento começará a ser implementado em breve primeiro na versão desktop do YouTube e, em seguida, será aplicado também nas interfaces mobile do serviço. A intenção com isso é, não impedir que as pessoas tenham sua liberdade de expressão, mas também não divulgar vídeos controversos pelas ferramentas sociais da plataforma. Dessa maneira, as pessoas poderão falar o que quiserem, mas não contarão com o YouTube para ajudá-las a disseminar o ódio.

O YouTube também está trabalhando em novas formas de impedir que vídeos extremamente violentos e relacionados ao terrorismo sejam divulgados no seu catálogo. Para tal, um novo sistema de inteligência artificial está sendo usado, bem como uma equipe humana de moderação mais rápida.

Cupons de desconto TecMundo: