A segurança de dados é algo muito importante e discutido nos dias de hoje. Até que ponto uma empresa pode guardar as suas informações pessoais? Esses dados podem ser vendidos, repassados ou usados por outras empresas ou órgãos, como a polícia? Independente da resposta, há um novo fato que vai interessar os mais preocupados: a Apple guarda secretamente os dados de chamadas dos usuários nos backups do iCloud.

Ao menos é isso que uma empresa russa especialista em segurança da informação chamada Elcomsoft alegou, pois segundo eles, a Maçã tem todos os registros de ligações dos últimos quatro meses, algo que pode descontentar muitas pessoas e até mesmo ser crime. Posteriormente, a empresa de Tim Cook confirmou – leia mais abaixo para entender.

Será que manter o backup no iCloud é algo seguro?

Nesses registros estão armazenados todas os telefonemas realizados, o tempo de duração de cada um deles, as chamadas perdidas e muito mais. Porém, o mais preocupante é que apps que utilizam o histórico de chamadas, como o FaceTime, o Messenger ou o WhatsApp, também sofrem com isso, ou seja, a Apple também teria acesso a essas informações.

Você se sente confortável em ter o histórico de chamadas armazenados sem o seu conhecimento?

O pior de tudo isso é que basta você ter a opção de backup do iCloud ativo para que a empresa da Maçã tenha todos os dados armazenados em seus servidores. Para complicar ainda mais, não existe a opção de desativar a sincronização de dados de histórico de chamadas, pois ela não está lá – afinal, os usuários contam que isso não está sendo armazenado. Se quiser parar de vez com o problema, só se desativar o iCloud.

O que a Apple tem a dizer?

Em resposta ao The Intercept, a Apple foi curta e direta: o histórico de chamadas é mantido como uma conveniência para que o usuário consiga ter esses dados em outros dispositivos. Em outras palavras: ligou do seu iPhone pelo FaceTime e quer ver esse histórico no seu iPad? Os dados estarão lá.

“Os dados dos dispositivos são encriptados com a senha do usuário e o acesso ao conteúdo do iCloud requer o Apple ID e a senha dele. A Apple recomenda que os consumidores criem senhas fortes e utilizem a verificação de dois passos”, disse a companhia.

Segurança nos smartphones é algo que preocupa muitas pessoas

Apesar de ser uma resposta relativamente coerente, há quem discorde. De acordo com o ex-agente do FBI Robert Osgood, os usuários devem ficar preocupados com quem poderia ter acesso a isso, e não com a própria Apple. No caso, poderia ser a polícia ou qualquer outro órgão governamental. De acordo com Osgood, quatro meses é um período bem maior do que os 30 ou 60 dias que as operadoras são obrigadas a manter por lei.

Dois dos grandes problemas é o usuário não ter conhecimento disso e o tempo de armazenamento na nuvem

A Apple já esteve ligada a outras polêmicas envolvendo o iCloud anteriormente. Caso você não se lembre, em 2014, a mesma empresa da matéria (Elcomsoft) alegou ter uma ferramenta capaz de quebrar a segurança do iCloud e ter acesso ao conteúdo, algo que estaria relacionado aos vazamentos de “nudes” de algumas celebridades.

Cupons de desconto TecMundo: