As novidades da Google em 2010.

Fonte da imagem: Divulgação / Google.

O ano de 2010 está próximo do fim. Para as empresas de tecnologia é momento de refletir sobre seus investimentos e avaliar se o resultado esperado foi obtido. A Google tem o status de organização inovadora e que constantemente está reformulando seus produtos – nem sempre para melhor.

Em 2009 discutiu-se muito sobre o rumo que os serviços oferecidos pela multinacional tomariam. As especulações apontavam para a difusão de pesquisas por novos tipos de conteúdo (imagem e vídeo, por exemplo), o aperfeiçoamento do algoritmo do buscador para uma melhor compreensão semântica das palavras e a elaboração de métricas que forçassem os desenvolvedores a criarem páginas mais concisas – permitindo carregá-las mais rápido.

As bajulações à empresa indicavam que ela se tornaria ainda mais “inteligente” e veloz. Mas será que as obstinações da Google foram alcançadas? E para onde os serviços e produtos da organização devem seguir? Confira um pouco sobre o que a gigante tecnológica andou aprontando durante o ano de 2010.

Pesquisas mais eficientes

Nos primeiros anos de vida da internet, a necessidade dos usuários era pesquisar, basicamente, por informações textuais. Hoje, vivemos em uma realidade completamente diferente. As novas gerações são imediatistas, querem obter conhecimento em tempo real. Com isso, o foco de pesquisas na web tem mudado: a procura por imagens e vídeos é cada vez mais comum no dia a dia das pessoas.

Esta é uma forma mais dinâmica de assimilar conhecimentos e ficar por dentro do que acontece em todo o mundo. Para o buscador Google, este ano foi marcado por várias renovações visuais e algumas melhorias em seu código.

Há muito tempo a interface da ferramenta de pesquisa mais popular do planeta não sofria um upgrade tão descolado. Um menu que concentra todos os recursos do buscador foi implementado na lateral esquerda da página, e a tela inicial esconde a barra de ferramentas, tornou-se mais interativa e permite a personalização do plano de fundo.

Plano de fundo do Google personalizado.

Fonte da imagem: blog oficial da Google.

No que tange o processo de pesquisa, a empresa colocou no ar o mecanismo de busca em tempo real (basta digitar para que o resultado seja exibido simultaneamente) e a ferramenta de visualização instantânea dos sites mais buscados. A localização do usuário e o horário das publicações ganharam maior relevância no algoritmo do buscador. Tudo isso foi implementado para deixar os usuários cada vez mais próximos do “aqui” e “agora”.

O sistema de indexação utilizado pelo Google Serach foi completamente reformulado. O Caffeine, como foi batizada a nova versão, permite que mais informações sejam processadas por segundo. Confira como a novidade funciona no artigo “Google Caffeine: o novo indexador do buscador mais conhecido do planeta”.

Relacionamento virtual

Apesar de algumas sutis tentativas de boicote ao Orkut por parte da Google, a rede social ainda reina aqui no Brasil. As mudanças que aconteciam em doses homeopáticas, este ano ocorreram de forma deliberada – impossível não percebê-las.

Além da interface completamente nova da página inicial do serviço, as seções de aplicativos e pesquisas receberam novidades. Os apps da rede social agora possuem uma tela de instalação bem mais amigável e estão melhor localizados na home do serviço.

A rede social mais popular do Brasil será extinta?

Fonte da imagem: Divulgação / Orkut.

Por sua vez, o mecanismo de pesquisa do Orkut recebeu uma página melhor estruturada, permitindo buscas mais ágeis e menos tumultuadas. Como era de se esperar, as drásticas mudanças não agradaram a todos. Muitos usuário acharam que as implementações realizadas durante o ano tornaram a rede social mais complicada.

Essa insatisfação fez com que o Orkut andasse mal das pernas. Aproveitando a situação, o Facebook ampliou ainda mais seu domínio de mercado. Acreditava-se que em contrapartida, a Google estava com planos mirabolantes com um novo site de relacionamento. Para a alegria de muitos e a tristeza de outros, a própria empresa negou o desenvolvimento de uma nova rede social.

O mais rápido dos navegadores

O Google Chrome surgiu para ser o navegador mais rápido do mercado. A primeira versão do browser teve um desempenho impressionante. Porém, a concorrência não parou no tempo e correu para igualar-se ao produto da gigante. No início deste mês foi anunciado o projeto para que as páginas da web sejam pré-carregadas. Isso confirmaria a expectativa de que o Google Chrome 7, com previsão de lançamento para o primeiro semestre de 2011, se tornasse 60 vezes mais rápido.

Google Chrome, o mais rápido da internet?

Fonte da imagem: Divulgação / Google.

Não é só em questão de velocidade que o navegador da Google é considerado líder. Nada auspicioso para sua reputação, o browser foi considerado o aplicativo com maior número de vulnerabilidades reportadas. Na tentativa de deixar a posição desagradável, os desenvolvedores do navegador isolaram o Flash – apontado como o grande motivo das invasões.

A mobilidade na ponta dos dedos

O iPhone encontrou um competidor à sua altura: o Android. O sistema operacional móvel da Google veio apimentar a corrida pela liderança de mercado em telefonia móvel. O Froyo, versão mais recente do SO, tem um grande potencial de processamento de dados: confira-o montando cubos mágicos de até sete linhas como se fosse uma brincadeira de criança.

O Android já tem programado o lançamento de uma nova versão até o final deste ano, o chamado Gingerbread. As surpresas da versão 2.3 devem ficar por conta do sensor de movimentos (mesma tecnologia usada nos controles do Wii) e da integração com o NFC (Near-Field Communication) – recurso que permitirá a utilização do smartphone como carteira digital.

O resolvedor de cubos mágico chamado Android.

Para os usuários brasileiros de Droids, a boa notícia é que o Android Market – loja de apps online – deve chegar em breve ao Brasil.

Atalhos para o YouTube

O serviço de hospedagem de vídeos da Google não teve tantas reformulações como outros produtos da marca. O grande destaque do YouTube neste ano foi a inserção de comandos de atalhos no player online. Quer descobrir como tornar a utilização do serviço mais prática? Confira as dicas em “Google disponibiliza atalhos de teclado no YouTube”.

A ferramenta de exibição de vídeos da multinacional deve ter melhorias em breve. Na página de testes do serviço, é possível experimentar alguns recursos que têm grandes chances de serem aplicados ao site em 2011. O YouTube Topics, funcionalidade para relacionar conteúdos ao termo pesquisado, teve críticas positivas.

O email que faz ligações

Para os usuários do Gmail, o lançamento que turbinou o serviço de email da Google este ano foi a integração dele com a tecnologia VoIP. Com esta combinação é possível realizar ligações gratuitas via internet. Ainda não conhece a novidade? Então não perca tempo e acesse “É oficial: o Gmail agora, além de mandar emails, também faz ligações” e descubra como ela funciona.

Os aplicativos que vieram das ruas

O Google Maps é uma mão na roda para os motoristas perdidos. O serviço de mapas online da gigante auxilia os usuários a encontrar locais e rotas de maneira simples. A aplicação da tecnologia 3D na reprodução das ruas teve grande repercussão entre os sites especializados de tecnologia.

Outro produto da Google que surgiu nas ruas foi o Street View. Este serviço retrata imagens de cidades com fidelidade, permitindo a interação do usuário com lugares que jamais visitou. Já imaginou conhecer a Europa sem sair da sua sala?

O carro que captura as imagens para o serviço.

Fonte da imagem: Divulgação / FIAT.

A ferramenta da multinacional chegou ao Brasil no final de setembro, mas é no exterior que ela tem gerado inovações. Um projeto norte-americano une uma bicicleta ergométrica ao Street View e promove a prática de exercícios físicos. Outro fato inusitado aconteceu na Inglaterra, onde o serviço está ajudando a polícia local a procurar um suspeito de roubo.

Chrome OS não saiu do papel

Sem dúvida, a grande decepção da Google em 2010 foi o Chrome OS. O sistema operacional deveria chegar ao mercado antes do final do ano. Porém, o CEO da empresa já comunicou que o prazo foi revogado para o ano que vem. O produto é motivo de grandes discussões, alguns acham que o SO não vai passar de uma extensão do navegador da empresa.

Uma surpresa entre os smartphones

Ainda como promessa, o Nexus S é a surpresa do ano entre os smartphones mais potentes. Depois de muitos rumores e um suposto vazamento de informação (há quem diga que tudo não passou de uma estratégia de marketing), o chefão da empresa, Eric Schmidt, anunciou – sem muitos detalhes – a existência do aparelho.

Documentos nas nuvens

Depois de muito tempo sem sofrer melhorias consideráveis, o Google Docs voltou a listar os produtos notórios da Google. O ano de 2010 foi interessante para o serviço de edição de documentos online: ele ganhou um mecanismo que permite a manipulação do conteúdo por meio de smarpthones.

Em uma mancada dos desenvolvedores, foi esquecida uma mensagem no código-fonte do serviço que anunciaria em breve a implementação de aplicativos, impressão e sincronização de documentos para o Docs. Só nos resta esperar para saber se isso vai se concretizar.

Cloud computing ganha força com o Google Docs.

Outros serviços e produtos

As mudanças da Google não pararam por aí. O Tradutor da empresa recebeu uma nova roupagem, ficando com um aspecto visual mais limpo. Quer saber o clima na sua cidade? Agora você pode utilizar o Google Earth para se informar e não correr o risco de pegar chuva durante o caminho para o trabalho ou faculdade.

Aproveitando o gancho da geolocalização, a multinacional lançou neste ano o Google Hotpot e o Google Place. Ambos os serviços têm a finalidade de relacionar e promover a indicação de empreendimentos – ferramenta útil para as empresas divulgarem seus negócios.

Nem a Google é perfeita

Nenhuma organização tem sucesso em tudo que faz, nem a Google. Dois serviços lançados há pouco tempo pela gigante foram recebidos com grande expectativa pelo público, porém, não vingaram. O Google Buzz não teve a propagação necessária para se tornar uma plataforma social de sucesso e o Google Wave já teve seu fim oficialmente anunciado.

.....

Entre tiros certeiros e outros nem tanto, a Google vai se desenvolvendo e abocanhando novos segmentos de mercado. Para a multinacional, o ano de 2010 foi marcado por um número de mudanças e aperfeiçoamentos de seus produtos que há muito tempo não acontecia.  

O que pudemos perceber com tais reformulações é que a empresa priorizou melhorar a forma como os usuários encontram informações (sejam elas textuais, iconográficas ou audiovisuais) e criar formas de aumentar a interação entre os serviços e os clientes.

Quais caminhos a Google deve seguir daqui em diante? Para 2011 espera-se da organização o lançamento do seu primeiro sistema operacional, mais avanços na telefonia móvel e o desenvolvimento de uma plataforma social eficiente – já que as tentativas para esta última ferramenta até agora fracassaram.

Será que dominar o mundo está nos planos da Google? Você acredita que a gigante pode ser única no mercado tecnológico? O que mais falta a multinacional inventar? Faça seu comentário e participe!

 

Cupons de desconto TecMundo: