O app de streaming de música da Google recebeu uma grande atualização durante o mês de novembro. Ele ganhou uma série de melhorias na interface, mas o que tem destaque mesmo é a implementação do Aprendizado de Máquina ou Machine Learning na ferramenta. Com isso, ele agora consegue entender o seu gosto musical e, com essas informações, sugerir músicas que você talvez curta. A ideia é criar uma experiência em que você descubra mais e pesquise menos por música por conta da inteligência artificial.

Além do Play Música, outros apps da Google já contam com aprendizado de máquina e vêm tendo muito sucesso com isso. O melhor exemplo certamente é o Google Fotos. O app consegue fazer um monte de coisas que não são possíveis em outras ferramentas de backup e visualização de imagens, como organização automática, identificação de rostos e elementos nas fotos, além de busca de itens visuais por texto.

O sistema escolhe o que lhe mostrar com base nas coisas que você já ouviu

Mas aqui no campo da música, as coisas ainda estão engatinhando. O que esse mecanismo inteligente entrega no Play Música são basicamente recomendações de músicas que você pode gostar, de forma individual ou em listas.

O sistema escolhe o que lhe mostrar baseando sua decisão nas coisas que você já ouviu. Ah! Quando você usa o app pela primeira vez, ele pede para definir alguns artistas que você gosta. Essa configuração inicial também influencia bastante no tipo de novos sons que ele traz para a tela inicial do app.

A tela inicial

Agora que você já entendeu o que o aprendizado de máquina pode fazer no Play Música, vamos falar sobre a tela inicial do app, que foi completamente remodelada. Ela agora traz listas de produção ou “Rádios” para você ouvir mostradas de uma forma bem visual.

Cada uma tem sua própria imagem em alta resolução, um título e uma pequena descrição, além do botão de play. Tocando nele, a execução começa imediatamente, mas, ao tocar na imagem, você é levado para a coleção de álbuns e músicas que compõem aquela lista.

Esse novo formato é bem mais chamativo e realmente faz você querer navegar

Esse novo formato é bem mais chamativo e realmente faz você querer navegar por essas opções da tela inicial, muito diferente do que tínhamos antes. Muitos dos títulos são interessantes, como “Para os fãs de Adele”, “Dar uma relaxada”, “Hora do jantar” e coisas assim.

Boa parte dessas coleções é montada pela inteligência artificial, que aprende com os hábitos do usuário, mas também existem humanos especialistas em música trabalhando em cima disso, para montar playlists diferenciadas para os ouvintes. Essa abordagem é bem similar à que o Spotify tem praticamente desde o seu começo.

Apesar de essa nova lista com coisas legais ter ocupado toda a tela inicial, você ainda pode ver as músicas mais recentes e as mais tocadas a partir dali. A barra de buscas funciona da mesma forma que antes, assim como a pesquisa por voz.

Execução de música

A tela de execução de músicas, assim como o widget na área de notificação, não mudou nada. Em questão de interface, as melhorias pararam na tela inicial. Isso chegou a criar uma quebra de continuidade: você abre o app com aquele visual matador e, em seguida, fica um pouco decepcionado com o restante, que não seguiu a mesma evolução.

Fora isso, nada muda na qualidade de execução de músicas, e, nas configurações padrão, o Play Música ainda demora um pouco mais que o Spotify para começar a tocar uma música por streaming — que não está salva offline. Claro que isso é pouco relevante, mas é algo que a Google precisa rever caso a empresa queira mesmo competir de igual para igual com o líder de mercado.

Ele consegue identificar via GPS quando você vai para a academia e sugere uma lista com músicas adequadas para a ocasião

Apesar de contar com esse novo sistema inteligente para sugerir listas e faixas, o Play Música ainda não tem uma resposta para o “Daily Mix” do Spotify, que foi muito celebrado pelos usuários do app concorrente.

Por outro lado, o Play Música é mais inteligente. Ele consegue identificar via GPS quando você vai para a academia, por exemplo, e sugere uma lista com músicas adequadas para a ocasião. Isso acontece com vários outros tipos de ambientes e segue outras variantes, como horário do dia. Ainda, há a vantagem do preço da assinatura: R$ 14,90 no plano individual na opção da Google, 2 reais a menos que a mesma oferta do Spotify.

Vale a pena mudar?

Se você quer economizar alguns reais agora que o preço da assinatura do Spotify aumentou (para quem já era assinante, haverá alguns meses com preço antigo), vale a pena dar uma olhada bem séria no Google Play Música. Ambos os apps possuem praticamente a mesma biblioteca, mas o da Google é bem mais integrado com o Android.

Entre outras coisas, ele oferece execução de músicas salvas diretamente no armazenamento do celular e também tem a possibilidade enviá-las para a nuvem. Com isso, o usuário pode ouvir esses itens extras em outros aparelhos, como PC e tablet, sem ter que copiar MP3 de um lado para o outro.

Ou seja, se você tem arquivos MP3 daquela banda independente ou de artistas novatos que ainda não estão no catálogo do Play Música, é possível escutá-los ao lado dos demais sons do streaming sem ter que trocar de app. O Spotify até permite adicionar arquivos MP3 nas suas listas, mas ele não os envia para a nuvem nem os sincroniza com as bibliotecas de outros aparelhos.

A Google tem negligenciado um problema irritante do Play Música

Contudo, a Google tem negligenciado um problema irritante do Play Música há um bom tempo: conexão com o Chromecast. Em nossos testes, o app se desconectava do aparelho de uma forma bem chata. Na mesma rede WiFi com o mesmo smartphone e Chromecast, o Spotify se saiu muito melhor, sem apresentar um problema sequer. Ou seja, a concorrência está dançando melhor que a Google na pista que ela mesma construiu. Quando eu experimentei o Play Música pela primeira vez, há algum tempo, esse problema já existia, mas era mais raro.

Portanto, como há pontos negativos e positivos nos dois lados, fica difícil recomendar um ou outro. Se você quer economizar, vá de Google Play Música. Se está com preguiça de construir suas playlists do zero novamente, continue com o Spotify. Mas avalie as condições de cada um e veja qual é melhor para as suas necessidades.

Em breve, nós vamos publicar tutoriais sobre como migrar sua coleção de músicas do Spotify para o Play Música e vice-versa. Portanto, fique de olho.

***

A Google nos forneceu uma licença temporária do Google Play Música para a realização deste artigo.

Cupons de desconto TecMundo: