A Google apresentou seus novos smartphones, o Pixel e o Pixel XL, na semana passada, mas os aparelhos não chegarão ao mercado internacional até o mês que vem. Mesmo assim, ficou clara a estratégia da Gigante das Buscas com o lançamento desses dois produtos: atacar a Apple e seus iPhone 7 e 7 Plus.

A Google pensou bastante no tipo de aparelho que queria lançar

Mas como exatamente a Google quer fazer isso e quais características desses smartphones podem agradar aos fãs do iPhone em específico? É inegável que estamos diante de duas linhas de aparelhos com bom design, ótimo desempenho e recursos apelativos, mas a Google pensou bastante no tipo de celular que queria lançar.

Software

O Android Nougat 7.1, que virá instalado nos aparelhos Pixel de fábrica, é a mais nova implementação visual do Robô e também a mais simplista e parecida com o iOS. A Google se livrou do botão que dá acesso à gaveta de apps e, para substituir isso, implementou um gesto. Você arrasta o dedo de baixo para cima na tela inicial e toda a sua coleção de aplicativos é mostrada.

O iOS, por sua vez, não tem um botão para acessar a gaveta de apps, muito menos a própria gaveta de apps. Mas dá uma olhada nessa barra inferior da interface do Pixel e veja se ela não se parece um pouquinho com a barra de apps fixos do iOS? Parece, né?

Fora isso, no iOS, quando você arrasta as telas iniciais até o fim da esquerda para a direita, a busca Spotlight é mostrada. A Google, em sua interface chamada “Pixel Launcher”, colocou o seu mecanismo de busca limitado ao topo esquerdo da tela e sumiu com aquela barrinha legal. Dá para clicar nesse novo elemento ou arrastar para a direita para ver o Google Now.

Google Assistente

O Assistente pode ser bem mais útil e inteligente do que a Siri

O Google Assistente é outro recurso que deve chamar a atenção de usuários do iOS. Ele é praticamente uma resposta direta à Siri — uma vez que o antigo Google Now era algo similar, porém com algumas diferenças. Contudo, pelo que já temos de exemplo por aí, o Assistente pode ser bem mais útil e inteligente do que a Siri do iOS.

Faz muito tempo que a Apple não implementa novos recursos realmente úteis em sua assistente, e o próprio Google Now já conseguia fazer muito mais que ela sem que o usuário precisasse ficar pedindo coisas o tempo todo.

Google Assistente em ação. Ele funciona apenas em inglês no momento.

Design

O design do Google Pixel é relativamente similar ao dos recentes iPhones lançados pela Apple. É questionável o fato de os aparelhos da HTC terem inaugurado essa moda primeiro, mas é inegável que a Apple a popularizou.

Portanto, podemos dizer que o Pixel e o Pixel XL se parecem sim com os iPhones, e isso é uma boa coisa para os fãs do iOS e para a própria Google. Afinal, eles definitivamente gostam dessa aparência e, caso sejam convencidos a migrar para outro aparelho, o “choque” não seria tão grande no caso do Pixel, pelo menos no que toca ao design.

Contudo, o smartphone da Google tem sua própria personalidade e isso fica expresso principalmente pela parte traseira, que conta com uma parte em vidro em volta da câmera e do sensor de digitais. É realmente uma assinatura exclusiva que não vemos em nenhum outro aparelho famoso por aí. Assim, apesar de ter certa similaridade com os últimos iPhones, o Pixel também tem um design bastante original. O debate aqui é só para descobrir se ele é bonito ou não. O que você acha?

“Sugador de iPhones”

Você usa isso para sugar tudo que é informação pessoal do seu antigo telefone

Ainda na questão do hardware, a Google incluiu um pequeno adaptador que se conecta à USB-C do Pixel e oferece uma entrada USB-A normal. Você usa isso basicamente para “sugar” tudo que é informação pessoal do seu antigo telefone para o Pixel, e a Google fez questão de ressaltar que ele deve ser usado especialmente com iPhones, apesar de fazer a mesma coisa com Androids.

Isso é importante porque não há um app da Google na App Store para migrar contatos, mensagens, fotos e outros dados do iPhone para o Android. Portanto, a solução é essa pecinha de hardware aí.

Ninguém fez qualquer teste com o acessório por enquanto, mas a Google garante que ele funciona muito bem e de forma simples. Você pluga o iPhone na outra ponta, e o Pixel começa a sugar tudo o que você quiser.

“Melhor câmera”

Um dos pontos que fazem muitos usuários do iOS se manterem fiéis à Apple é qualidade das câmeras de seus smartphones. Atualmente, só aparelhos da Samsung conseguem bater os iPhones nesse quesito — e talvez alguns da LG e da Motorola/Lenovo. Em sua apresentação dos novos Pixel, entretanto, a Google garantiu que estes possuem as melhores câmeras mobile do mundo.

A Google afirmou que seus smartphones possuem as melhores câmeras mobile do mundo

Ou seja, a empresa está afirmando categoricamente que tem supremacia fotográfica em smartphones — frente à Apple e Samsung — e ainda oferece um app de captura bem simples e direto. Tudo o que um dono de iPhone curte em seu aparelho no assunto fotografia.

Essa afirmação da Google é corroborada pelo DxOMark, site especializado em analisar câmeras comuns e mobile. A publicação recebeu uma unidade do Pixel antes do lançamento para testar e acabou dando a ela a melhor nota de sua história para um smartphone. Realmente impressionante. Contudo, é preciso relatar que as notas do DxOMark nem sempre mostram os celulares que fazem as fotos mais atraentes aos olhos dos compradores.

Fotos feitas com o Pixel

Os técnicos do site prezam pela reprodução fiel da realidade e por outros quesitos técnicos, quando a maioria das pessoas só querem ver uma “foto bonita” saindo de seus dispositivos. Em grande parte do tempo, isso quer dizer apenas uma foto “clara e ligeiramente saturada”, o que não é nem de longe o que o DxOMark mais aprecia. Portanto, temos que esperar os testes reais de câmera para bater o martelo sobre essa questão.

Vale comentar também sobre a qualidade da gravação de vídeo no Pixel. Ele não tem estabilização óptica, mas o sistema de estabilização por software é aparentemente tão bom quanto. A Google exibiu uma demonstração em seu evento que surpreendeu muita gente. Novamente, resta esperar testes reais para verificarmos essa informação.

Teste real da estabilização de imagem do Pixel

Armazenamento ilimitado

Ainda nesse tópico, a Google prometeu armazenamento ilimitado para fotos e vídeos feitos com o Pixel em resolução original no Google Fotos. Esse app já oferece espaço ilimitado para isso, mas, em outros smartphones, a resolução é diminuída para um tamanho não informado pela empresa.

A Google prometeu armazenamento ilimitado para fotos e vídeos feitas com o Pixel em resolução original

Isso quer dizer então que o Google Fotos servirá para os donos do Pixel como uma verdadeira galeria para capturas em alta resolução e vídeo em 4K. Se você tem outro aparelho e quer guardar esse tipo de coisa para a posterioridade, é preciso salvar em cartões de memória ou no próprio PC quando o espaço local acaba.

Donos de iPhone (e de outros smartphones sem memória expansível) frequentemente sofrem com falta de espaço em seus dispositivos, especialmente aqueles com apenas 16 GB de armazenamento.

Atualizações contínuas e rápidas

Como os Pixel vão rodar o Android puro e intocado, a Google terá o controle total sobre a distribuição de atualizações para ele. Assim como acontece hoje na linha Nexus, esses smartphones receberão as novas atualizações do Robô antes de todos os demais aparelhos, o que trará novas ferramentas e recursos primeiro para os donos desses dispositivos.

Esses smartphone receberão as novas atualizações do Robô antes de todos os demais aparelhos

Quem comprar um Pixel na operadora norte-americana Verizon também não precisa se preocupar, uma vez que a empresa já disse que vai liberar o novo software para seus modelos tão rápido quanto a Google fizer isso. Portanto, quem migrar do iPhone para um modelo da Google não vai sofrer com a demora na distribuição de atualizações, como a gigante maioria dos usuários do Android.

Dois tamanhos, mesmo aparelho

Não é só a Apple que vem fazendo esse tipo de coisa recentemente, mas a empresa talvez seja a que menos diferencia funções entre o iPhone comum e sua versão Plus. Na versão 7 foi implementada a câmera dupla, mas, fora isso, o 7 e o 7 Plus são praticamente idênticos, desconsiderando o tamanho do corpo e da tela.

Essa abordagem também foi seguida pela Google, que quer apelar tanto para os usuários que gostam de smartphones pequenos quanto para os que curtem telonas grandes. Isso gera mais aceitação para o dispositivo sem dar a sensação de que o comprador do aparelho menor está ganhando menos recursos, como é o caso de muitos dispositivos atuais que possuem duas ou mais edições.

A própria Samsung entrega mais coisas no S7 Edge do que no S7 em questão de software, e a Lenovo tem três Moto Z com hardware e funcionalidades bem distintas, mas todos no mesmo tamanho de tela.

Apesar de ser uma tendência na indústria, a Google claramente está mirando na filosofia da Apple com essa tática. Novamente, simplesmente para cooptar fãs do iPhone.

Qual você compraria?

No fim de toda essa história, não há dúvidas de que a Google quer mesmo alguns clientes da Apple no seu lado da Força. A empresa se esforçou para isso, lançando produtos similares aos iPhones, mas essencialmente diferentes e originais. Será que ela vai conseguir trazer para o Pixel mais fãs do iOS do que entusiastas do Android, que sempre foram apaixonados pela linha Nexus? Só esperando para ver.

Podemos dizer ainda que os Pixel possuem outros recursos apelativos, como o Daydream, mas isso não é algo que deixa apenas donos de iPhones com inveja no momento.

Dificilmente vão chegar ao mercado brasileiro

Infelizmente, essas novas apostas da Google no mercado de smartphones dificilmente vão chegar ao mercado brasileiro, uma vez que faz alguns anos que a empresa não lança um Nexus por aqui.

Talvez isso agora mude, mas é pouco provável. Na Índia, por exemplo, onde os Pixel serão lançados oficialmente, a HTC vai assumir o suporte dos dispositivos, uma vez que a companhia supostamente os fabrica para a Google.

Mas como a HTC já saiu do mercado brasileiro há um bom tempo, quem ficaria responsável por isso no Brasil no caso de um lançamento local? A Google? Definitivamente não sabemos no momento, mas fique ligado aqui no TecMundo para conferir toda as novidades sobre o Pixel e o Pixel XL.

Cupons de desconto TecMundo: