A Google lançou no último dia 23 no Brasil o seu novo mensageiro, o Allo. A ideia é competir contra nomes de peso no segmento, como WhatsApp e Telegram, mas oferecer um “algo a mais” ao usuário. Nós vamos mostrar para você tudo o que o Allo tem de diferente dos seus principais concorrentes para que você decida se vale a pena fazer um esforço e mudar de mensageiro.

Primeiro, é preciso entender que a empresa lançou o Allo de forma preliminar apenas para smartphones Android e iOS. Não é possível usá-lo em tablets ou mesmo no computador. Se você é um usuário assíduo do WhatsApp Web ou do Telegram Desktop, certamente vai sentir falta dessa possibilidade aqui. Mas pera aí! Vamos ver primeiro os recursos do Allo antes de você resolver deixá-lo de lado.

Seja mais expressivo

Quando a Google anunciou o Allo na última Google I/O 2016, a empresa passou um bom tempo mostrando como o mensageiro permite que o usuário se expresse melhor ao escrever. Sempre que você digitar uma mensagem, é possível segurar o botão de envio e arrastá-lo para cima ou para baixo e, com isso, aumentar ou diminuir o texto.

Basicamente, você consegue dar a impressão de que está gritando (de felicidade ou de raiva) ou falando baixinho, sem precisar usar letras diferentes ou outros artifícios. É interessante notar que é possível fazer isso também com emojis.

Desenhe em fotos

Esse recurso do Allo é basicamente o que temos no Snapchat, mas de uma forma mais polida. Clique no botão “+” à esquerda da área de escrita e escolha o ícone da câmera ou da galeria. Depois de tirar uma foto ou selecionar uma imagem da galeria, o Allo vai mostrar dois botões: um para enviar o item e outro com o ícone de um lápis.

Use esse último para abrir a seção de desenho em fotos. Agora, você pode desenhar usando a canetinha ou escrever alguma coisa sobre a imagem com a função de escrita. Há sete opções de cores vivas para escolher.

Adesivos animados

Mesmo sendo possível escrever com letrinhas pequenas ou bem grandes no Allo, texto nem sempre é o meio mais interessante para se expressar no dia a dia, especialmente em situações mais cômicas. Por isso, o mensageiro da Google conta com uma seção de adesivos que pode ser acessada pelo botão de “+” à esquerda da área onde você escreve. Escolha o quarto ícone, aquele que tem uma carinha feliz, e veja as opções.

Por padrão, o Allo vem com três galerias de adesivos já disponíveis, mas você pode baixar várias outras, inclusive algumas com adesivos animados. Toque no botão da carinha com um símbolo de “+” ao lado direito da área de seleção de galerias de adesivos e veja todos os pacotes disponíveis. Os que tiverem um símbolo de “play” são os animados. Gostamos especialmente do “O Touro Júlio”.

Conversas privadas

As conversas tradicionais do Allo são relativamente seguras, mas a Google tem acesso a tudo o que você escreve através do Assistente Google, um “robô” que fica de olho no que você escreve para lhe dar sugestões de texto e aprender com seus hábitos. Isso pode preocupar quem procura privacidade absoluta, e, por isso, a desenvolvedora inclui o modo de “Conversas anônimas”.

É possível eliminar qualquer chance de o robô ficar de olho no que você escreve

Batendo papo com seus amigos dessa maneira, você elimina qualquer chance de o robô ficar de olho no que você escreve e também fica protegido com criptografia de ponta a ponta. Isso quer dizer que não existe a possibilidade de suas mensagens serem interceptadas. Além do mais, é possível determinar uma “data de validade” para as mensagens escritas nessas conversas privadas.

O padrão é 1 hora, mas você consegue diminuir ou aumentar esse tempo de acordo com o que achar mais prático. Esse recurso é interessante porque, mesmo que alguém consiga a senha do seu smartphone, ao abrir o Allo provavelmente não vai conseguir ver as mensagens trocadas no modo anônimo, uma vez que elas já podem ter sido destruídas. Mensageiros como o Telegram já adotam essa facilidade, mas não é o caso do popular WhatsApp.

Google Assistente

Esse é, na verdade, o grande trunfo do Google Allo contra seus principais concorrentes. Trata-se de um sistema tão ou mais inteligente que o Google Now disponível no mensageiro. É possível conversar diretamente com ele, fazendo perguntas diretas ou pedindo recomendações — em voz ou texto — ou até invocá-lo dentro de um grupo digitando um “@google” com sua pergunta ou comando.

Com isso, é possível conseguir direções para endereços, recomendações de lugares como restaurantes e bares, pontos turísticos ou mesmo pesquisar na web. Ele pode também executar praticamente tudo o que o Google Now faz, mas aceita comandos com linguagem mais natural.

O Google Assistente só está disponível em inglês por enquanto

Infelizmente, o Google Assistente só está disponível em inglês por enquanto. Português e outros idiomas devem ser incluídos em breve, mas não há uma data definida. De qualquer forma, é possível brincar com ele conversando em inglês, caso você conheça o idioma.

Sempre que ele dá uma resposta, já traz algumas sugestões de perguntas que você pode tentar fazer na sequência, evitando o trabalho de digitar. Fora isso, dá para dar um positivo ou negativo para o Assistente saber se interpretou certo ou errado a conversa.

De acordo com o contador de downloads da Google Play, o Allo já foi baixado mais de 5 milhões de vezes. O primeiro milhão de downloads inclusive foi alcançado no primeiro dia em que ele esteve disponível para baixar, isso sem contar o número de usuários no iOS.

Snowden disse para não usar o Allo?

Novamente tocando na questão da privacidade, o Allo tem sido criticado por muitos pelo fato de as conversas dos usuários não serem protegidas por padrão via criptografia de ponta a ponta. A Google disse inicialmente que incluiria isso, mas resolveu eliminar o recurso para que o Assistente fosse capaz de fazer mais pelos usuários.

Edward Snowden chamou o Allo de “Google Vigilância” e não recomenda o uso do app

Entretanto, isso significa que existe a possibilidade de a empresa coletar dados sobre os assuntos que estão sendo tratados, bem ao estilo “Compartilhamento de conta entre WhatsApp e Facebook”. Por conta disso, Edward Snowden, conhecido por delatar o esquema de vigilância global promovido pelo governo dos EUA, chamou o Allo de “Google Vigilância” e não recomenda o uso do app.

Precisamos lembrar também que o Allo possui o modo anônimo, totalmente criptografado, mas acredita-se que os usuários comuns não queiram se dar ao trabalho de utilizar a ferramenta, mesmo ela estando bem visível ao iniciar uma nova conversa com alguém.

Mas e aí, o que você achou do Allo? Será que tem futuro ou vai ser só mais uma tentativa frustrada da Google de entrar no mercado de mensageiros? O app tem suas vantagens, que são bem interessantes, mas peca um pouco em segurança.

Cupons de desconto TecMundo: