Mark Zuckerberg acredita que a internet é a chave para acabar com a pobreza extrema. Em um discurso durante um almoço oferecido pelo Fórum do Setor Privado das Nações Unidas na sede da ONU, no último sábado (26), o fundador do Facebook disse que quer que todo o mundo esteja conectado à rede mundial de computadores até 2020.

Isso se estende inclusive aos campos de refugiados, como relatou o New York Times. "Quando as pessoas têm acesso às ferramentas e ao conhecimento da internet, elas têm acesso a oportunidades que tornam a vida melhor para todos nós", diz uma declaração assinada por Zuckerberg juntamente com Bill e Melinda Gates, além de Jimmy Wales, cofundador da Wikipédia.

Mark Zuckerberg, em discurso na ONU

Mas como?

A grande questão, que não foi esclarecida por Mark, é como ele pretende alcançar esse objetivo, que parece bastante utópico no momento – são apenas cinco anos para cumpri-lo. Além disso, a experiência anterior do Facebook não foi muito bem aceita pela comunidade.

Há muito ceticismo em torno da questão porque Zuckerberg já está envolvido em um projeto que oferece internet gratuita em diversos países em desenvolvimento – o Internet.org. O problema é que, nesse caso, a conexão fornecida é controlada pelo Facebook, o que viola os princípios de neutralidade da rede.

Projeto de drones gigantes para distribuir a internet

Devido a esse fato alarmante, 64 organizações do mundo todo enviaram uma carta aberta ao CEO reclamando do “Facebooknet”. Por isso, todos estarão atentos aos planos da Rede Social, que já projetou uma rede de drones gigantes para distribuir internet ao redor do globo usando lasers.

Cupons de desconto TecMundo: