Em comemoração os 4 séculos desde as primeiras observações telescópicas do céu feitas por Galileu Galilei, 2009 foi designado como o Ano Internacional da Astronomia. A mais antiga das ciências conta, hoje, com dezenas de programas que se dedicam a mostrar o céu de uma forma bem diferente para os leigos no assunto e também facilitam a vida de astrônomos amadores.

Como não poderia ser diferente, o Baixaki preparou uma super comparação dos três principais aplicativos dedicados à astronomia. Conhecendo as diferenças, vantagens e desvantagens de cada um destes programas, você pode escolher aquele que melhor se encaixa com seus interesses e conhece o céu de uma maneira divertida e muito interessante.

Os três aplicativos escolhidos foram: Stellarium, Google Earth e WorldWide Telescope. É, parece que o duelo vai ser dos bons! Então, lá vamos nós!

É bom saber

Todos os testes realizados nos programas foram feitos em um Inter Core 2 Duo com dois núcleos de 2.4 GHz, 3 GB de memória RAM e um HD principal de 280 GB. O sistema operacional utilizado foi o Windows XP Home Edition, com Service Pack 3.

Os testes foram realizados simulando o uso comum de um computador, ou seja, com antivírus e programas que inicializam com o Windows ativados. Cada um dos aplicativos desta batalha foi testado individualmente.

 

STELLARIUM, O PEQUENO GIGANTE!


Quando o pequeno Stellarium foi lançado, não parecia ser grande coisa, mas aos poucos o programa foi ganhando seu espaço e o respeito do público que procura aplicativos do gênero. Por que o aplicativo do desconhecido Fabien

Chéreau ganhou o respeito dos usuários? Confira abaixo!

Beta sem problema

Um dos principais atrativos do programa é que, mesmo estando em fase de testes, não apresenta erros graves que exijam o encerramento do aplicativo. Muitos usuários têm medo de instalar qualquer software que tenha em seu nome as palavras: beta ou teste. Com Stellarium, no entanto, não é problema!

Interface e menu

Para usuários iniciantes, que nunca utilizaram um programa do gênero, o Stellarium é o que possui a interface mais agradável e simples. Todas as principais opções dispostas em uma única barra de tarefas permitem que os usuários encontrem as ferramentas que procuram com muito mais facilidade.

Além da praticidade, a beleza da interface também chama atenção. Os desenhos dos botões são bem detalhados, assim como as imagens das constelações, paisagens e demais detalhes que o programa exibe.

Barra de tarefas do Stellarium

Recursos e opções

Dentre todos os recursos do Stellarium, talvez o que mais impressione seja a possibilidade de visualizar o céu dos diferentes planetas, satélites naturais e estrela do sistema solar. Se você colocar a opção para ver o céu do Sol, por exemplo, irá notar que a Terra é mostrada como os outros planetas: apenas um ponto (azul) no céu com a identificação “Terra”.

Terra, um pequeno ponto azul!

Outro recurso muito atraente no programa são as paisagens para simular o ambiente de observação. Você pode estar na Lua, Marte, em alto mar ou mesmo em uma montanha com muito gelo. A riqueza de detalhes impressiona até mesmo os mais acostumados com o programa.

O Stellarium conta ainda com uma ferramenta que permite ao usuário visualizar o nome das constelações para outros povos, como os chineses, egípcios, coreanos, navajos e muitos outros.

Acontecimentos em tempo real

Ao olhar Júpiter pelo telescópio, por exemplo, é possível visualizar suas quatro luas principais (Io, Ganimedes, Europa e Calisto). Mas, como saber qual lua é qual?

Utilizando o Stellarium você é rapaz de identificar cada uma das luas, graças a um recurso do programa que exibe, de forma precisa, a posição e o nome dos principais satélites de cada planeta em tempo real.

Qualidade das imagens e desempenho

Apesar de ser o programa, dentre os três citados, que ocupa mais espaço em disco, o Stellarium é o que apresenta o melhor desempenho e o que ocupa menor quantidade de memória quando em execução.

Isso, no entanto, não interfere absolutamente nada na qualidade das imagens exibidas nem na velocidade do programa. É verdade que o zoom do programa não exibe tantos detalhes quanto seu concorrente WorldWide Telescope, mas para quem procura algo prático e fácil de utilizar, não há programa melhor.

GOOGLE EARTH, AGORA COM MARTE

Google Earth, agora com Marte!


Apesar de ter começado apena com a Terra, o Google Earth evoluiu e traz muito mais do que imagens tridimensionais de casas, prédios e construções.

Últimos lançamentos

Além de permitir que você caminhe pela superfície de Marte, a quinta versão do aplicativo traz imagens muito mais detalhadas do céu. Suas fotos em alta resolução garantem a qualidade de exibição mesmo quando você aumentar bastante o zoom.

Menus e interface

O Google Earth possui uma interface agradável para trabalhar, mas seu sistema de camadas pode confundir um pouco a cabeça de usuários novatos, mas nada que um pouco de prática não resolva.

A barra de tarefas principal do programa conta com diversas opções, dentre as quais é possível encontrar uma maneira muito prática para alternar entre as exibições do céu, de Marte e da Terra. É só acessar o ícone e escolher qual das três opções deseja visualizar.

Camadas e Recursos

Camadas!Apesar de não ser comum, a utilização de camadas permite que os usuários ativem e desativem diversos recursos do programa. Dessa maneira, você pode melhorar o desempenho da sua máquina ativando apenas os recursos que irá utilizar.

Uma das camadas mais úteis é, com certeza, aquela que exibe o contorno das constelações, pois ela facilita a localização de objetos e estrelas no céu.

Para aqueles que sempre procuram um algo a mais, o Google Earth disponibiliza um mapa histórico do céu e também, em imitação ao Stellarium, o desenho das constelações.

O recurso de busca do programa é muito eficiente e, além de encontrar os objetos procurados, ele guarda um histórico das procuras realizadas para o caso de você não lembrar o que já procurou.

As demais camadas possuem os mais variados recursos para você aproveitar, dentre os quais podemos citar: eventos atuais no céu, tour pelo céu, observatórios em destaque e outros mais.

Um recurso ausente no programa do Google e que faz falta, principalmente para astrônomos amadores, é a exibição dos satélites naturais de cada um dos planetas. Além disso, o zoom dos planetas deixa um pouco a desejar.

Qualidade das imagens e desempenho

Que a qualidade das imagens do Google Earth é superior às do Stellarium, não há dúvida! Mas, como consequência, é preciso um computador um pouco mais potente para rodar o programa da Google sem problemas. Usuários que possuem uma máquina mais simples podem encontrar um pouco de dificuldade para usar o aplicativo.

Galáxia do Sombrero

Marte neles!

O novo recurso que permite ao usuário “caminhar” pela superfície de Marte é, sem dúvida, um ótimo motivo para você utilizar o programa. Os detalhes exibidos nas imagens impressionam e conquistam até mesmo os mais experientes na área de astronomia.

WORLDWIDE TELESCOPE, ÓTIMA RESPOSTA DA MICROSOFTWorldWide Telescope


Outro gigantes que entrou na briga dos programas de astronomia foi a Microsoft. Com diversos recursos e imagens de dar inveja, o WorldWide Telescope mostra que veio para ficar e surpreender.

Interface, menus e opções

Uma das características marcantes neste último aplicativo da comparação é a interface simples e amigável. Apesar de assustar um pouco no primeiro contato do usuário com o software, as barras de tarefas distribuídas pelo programa facilitam muito a localização de objetos celestes e o acesso às diversas configurações oferecidas.

O sistema de abas empregado no WorldWide Telescope permite a organização das configurações e recursos por temas, ajudando na procura pelas ferramentas. Se o usuário quiser alterar qualquer configuração do programa, não encontrará dificuldade alguma, pois todas as principais opções são facilmente acessíveis através da barra de tarefas principal do programa.

Barra de tarefas do WorldWide Telescope

Você poder interagir com outros usuários e trocar muitas ideias são coisas que nem todos os aplicativos permitem, mas que você consegue fazer utilizando o programa da Microsoft.

Recursos

Além dos recursos básicos como exibir as constelações e seus nomes, mostrar os planetas, nebulosas e aglomerados, o WorldWide Telescope é uma verdadeira escola da mais antiga ciência do mundo. Com o recurso Guided Tour, os usuários podem baixar vídeos que falam sobre galáxias, constelações, missões espaciais e muito mais, todos narrados por especialistas no assunto.

Europa, uma das luas de Júpiter.Assim como seu concorrente Stellarium, o programa em questão exibe a localização exata dos planetas e de suas luas, mostrando também o nome de cada satélite.

A diferença está na qualidade do zoom apresentado nos dois programas. O WorldWide Telescope exibe imagens muito detalhadas das luas, mostrando perfeitamente a superfície dessas.

Dentre os três programas, este é o que possui o sistema de busca mais eficiente e dinâmico, uma vez que ele exibe vários resultados para a pesquisa realizada.

Qualidade das imagens e desempenho

Com certeza este terceiro aplicativo do duelo é o que exibe as imagens com melhor qualidade, mas, em consequência, é o que exige mais memória quando em execução (três vezes mais do que o Stellarium). Outra consequência das figuras em alta resolução é o tempo que as essas levam para carregar completamente. O mais indicado é que o computador tenha uma placa de vídeo externa para melhorar ainda mais a qualidade das fotos.

Imagens do WorldWide Telescope

Durante a execução dos vídeos, a máquina utilizada para os testes não travou, mas mostrou certa lentidão. Além disso, durante o download dos pacotes de vídeos, não é possível utilizar o programa, algo que poderia ser repensado pelos desenvolvedores da Microsoft.

Aos arredores

A melhor forma de conhecer o Universo é explorando cada canto. Pensando nisso, o WorldWide Telescope criou um recurso que mostra, em fotos, todos os objetos relevantes que encontram-se próximos ao local que você está explorando. Assim, quando quiser mudar o rumo da sua caminhada pelo espaço, é só escolher qual dos objetos mostrados deseja ver!

Mas afinal, qual o melhor?

Se você gosta de astronomia, irá encontrar muitas vantagens nos três aplicativos. Mas, cada programa, é criado para um perfil de usuário.

Tabela de comparação

O Stellarium é mais indicado para aqueles que fazem observações em locais mais remotos, com pouco (ou nenhum) recurso de energia elétrica. Por quê?! Normalmente astrônomos carregam notebooks para as observações e, por ocupar menos memória quando em execução, menos bateria é consumida. Assim, é possível manter o notebook ligado por mais tempo. Além disso, a praticidade de navegação e busca do aplicativo facilitam a vida do usuário.

O WorldWide Telescope, por sua vez, é ideal para aqueles usuários sonhadores, que gostam de apreciar o Universo sem sair de casa. Outro público alvo do aplicativo é aquela pessoa curiosa e sedenta por conhecimento, pois os vídeos educativos exibidos permitem que você aprenda muito sobre os objetos celestes e sua formação.

O Google Earth é mais para os usuários exploradores, que gostam de uma boa aventura em terrenos desconhecidos, afinal ninguém explorou Marte nos mínimos detalhes ainda!

Independente do seu perfil, não deixe de conferir estas ferramentas e passe a ver o espaço com outros olhos, fica aí três dicas de guias para você utilizar!

Batalha pelo Universo

Cupons de desconto TecMundo: