Doença neurológica misteriosa está atingindo jovens no Canadá, diz jornal

3 min de leitura
Imagem de: Doença neurológica misteriosa está atingindo jovens no Canadá, diz jornal
Imagem: Pexels
Avatar do autor

Em New Brunswick, província canadense, um homem começou a desenvolver sintomas de demência e ataxia (comprometimento da coordenação motora). Enquanto seus sintomas agravavam, ele recebia cuidados da esposa, preocupada.

Foi então que ela, de repente, começou a perder massa muscular e sofrer com alucinações. A suspeita é que a mulher tenha desenvolvido a mesma doença neurológica que o marido. Agora sua condição é pior do que a dele.

O caso não foi o único e especialistas estão perplexos. Essa doença neurológica tem acometido cada vez mais jovens na região. Até ano passado eram 48 casos — número oficial até agora. Mas fontes ouvidas pelo jornal britânico The Guardian dizem que cerca de 150 pessoas já foram acometidas.

Doença misteriosa surge no Canadá e afeta jovens, principalmente (Fonte: Pexels/Anna Shvets)Doença misteriosa surge no Canadá e afeta jovens, principalmente (Fonte: Pexels/Anna Shvets)Fonte:  Pexels 

O governo da região alega, entretanto, que os casos não estão relacionados e não se tratam da mesma doença. Segundo fontes oficiais, eles foram agrupados por falta de diagnóstico apropriado.

Ainda assim, chama a atenção a idade dos pacientes. Os sintomas são preocupantes e incluem perda rápida de peso, insônia, alucinações, dificuldade de pensar e mobilidade reduzida. Segundo neurologistas, casos assim são raros em jovens.

Em declaração ao The Guardian, um funcionário do Vitalié Health Network, uma das autoridades em saúde da região, afirma que está preocupado com a velocidade da evolução dos quadros, por isso decidiu ir a público.

O funcionário não se identificou porque não tem autorização do governo para falar sobre o assunto. Segundo ele, as autoridades sanitárias não sabem explicar a doença misteriosa, mas já identificaram cerca de 150 casos na província.

Causas ambientais

Entre esses, são pelos menos nove os de pessoas próximas sem vínculo genético que desenvolveram os sintomas. Para os especialistas, isso sugere que a doença pode ter uma causa externa.

Em um deles, a doença acometeu duas mulheres. Uma delas com cerca de 30 anos, incapacitada de falar e alimentada por sonda. A outra, é sua cuidadora, estudante de enfermagem com pouco mais de 20 anos, que começou apresentar sintomas de declínio neurológico.

Segundo a fonte do jornal, a doença não é exclusiva da região. “Provavelmente somos a área que está levantando a bandeira, porque somos principalmente rurais e em uma área onde as pessoas podem estar mais expostas a fatores ambientais”, diz.

Intoxicação por alimentos

Em 2019, o pai de Tim Beatty morreu depois que começou a apresentar sintomas de confusão mental. Ele foi um dos oito falecidos até agora, vítimas da doença misteriosa.

Beatty disse que ficou surpreso quando um patologista declarou publicamente que o diagnóstico do seu pai estava incorreto. Segundo o médico, o aposentado teria morrido de Alzheimer.

A família agora exige que os restos mortais do patriarca sejam testados para neurotoxinas. Dentre elas, inclui-se a ß-metilamino-L-alanina (BMAA), que muitos sugerem que pode ser a culpada pela doença.

Pesquisas encontraram altas concentrações de BMAA em lagosta. Substância pode ser a causa da doença misteriosa (Fonte: Pexels/Kindel)Pesquisas encontraram altas concentrações de BMAA em lagosta. Substância pode ser a causa da doença misteriosa (Fonte: Pexels/Kindel)Fonte:  Pexels 

Isso porque pesquisadores recentemente encontraram altas concentrações de BMAA em lagostas da região. A indústria desse crustáceo impulsiona a economia das comunidades costeiras de New Brunswick.

Mas aparentemente existe resistência da província em realizar testes dos fatores ambientais suspeitos. Isso está causando especulação entre as famílias dos pacientes. Eles acreditam que os esforços para descartar a existência da nova enfermidade pode ser motivados por decisões políticas.

Falta de diagnóstico

Em março do ano passado, através de um memorando vazado, os casos chamaram a atenção da mídia. O governo local declarou que os casos foram agrupados juntos erroneamente e negam se tratar de uma mesma doença.

Segundo oficiais da região, os pacientes estão sendo acometidos por patologias comuns e recebendo diagnósticos errados, inclusive nos casos de morte, como o do pai de Beatty.

Em outubro do ano passado, eles também afirmaram que não existem evidências de que alimentos, comportamentos ou exposição a fatores ambientais têm relação com as doenças.

Recusas do governo

Documentos obtidos pelo The Guardian, entretanto, mostram que agentes de saúde pública consideram o BMAA uma possível causa da doença misteriosa. Entretanto, ele precisam de autorização da província para realizar mais testes.

"Eles estão com os restos mortais do meu pai. Demos a eles permissão total para fazer toxicologia e fazer o que precisa ser feito ", acrescenta Tim Beatty.

Mas pesquisadores alertam: estudos assim não são triviais. Nesse caso é necessário um processo completo de investigação. Não há, por exemplo, como interpretar dados simples das possíveis neurotoxinas sem parâmetros de referência.

Antes disso é preciso determinar, por exemplo, quais são os níveis de concentração da substância que podem ser considerados elevados. Os pesquisadores não têm todas essas informações para toxinas novas.

Os familiares dos pacientes aguardam um comunicado oficial do governo provincial, prometido para este mês. Eles devem emitir um relatório declarando se os casos constituem uma nova doença ou foram mesmo erros de diagnóstico.