Covid-19: Reino Unido aprova pílula da MSD capaz de reduzir mortes

2 min de leitura
Imagem de: Covid-19: Reino Unido aprova pílula da MSD capaz de reduzir mortes
Imagem: Divulgação/MSD
Avatar do autor

Há pouco mais de um mês, as farmacêuticas MSD e Ridgeback Biotherapeutics divulgaram que o remédio oral molnupiravir foi capaz de reduzir o número de mortes causadas por covid-19 em pacientes com casos leves e moderados. Agora, o Reino Unido se tornou o primeiro país a aprovar a medicação para o tratamento da doença infecciosa.

O antiviral molnupiravir, com o nome comercial de Lagevrio, foi considerado seguro e eficaz na redução da hospitalização de pacientes com covid-19 leve a moderada, diminuindo o risco de morte e de doença grave.

“Após uma revisão rigorosa dos dados por nossos cientistas e médicos especialistas, estamos satisfeitos que o Lagevrio [molnupiravir] é seguro e eficaz para aqueles em risco de desenvolver a doença de Covid-19 grave, por isso, demos sua aprovação”, afirmou a chefe-executiva do MHRA (Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos para a Saúde do Reino Unido), June Raine.

Menos mortes em casos leves e moderados

Até o momento, a MSD e a Ridgeback Biotherapeutics já fabricaram quase meio milhão de doses do medicamento e estão previstas para serem enviadas no meio de novembro de 2021. Inicialmente, o tratamento será prioritário em pacientes dos grupos de risco e idosos.

O tratamento consiste em até duas pílulas por dia e pode ser realizado em casa — é importante reiterar que a medicação será aplicada apenas em pacientes com pelo menos um fator de risco, como diabetes, obesidade e doenças cardíacas, ou pessoas com pelo menos 60 anos.

“O Reino Unido é agora o primeiro país do mundo a aprovar um antiviral que pode ser tomado em casa para a covid-19. Esta será a virada de jogo para os mais vulneráveis e os imunossuprimidos, que logo poderão receber o tratamento inovador”, disse o secretário de saúde, Sajid Javid.

O professor Peter Horby, um dos líderes dos ensaios de recuperação e tratamento da covid-19 na Universidade de Oxford, revelou que a decisão do Reino Unido foi extremamente importante para o combate da pandemia ao redor do mundo. “A aprovação de um antiviral oral para covid-19 é uma grande conquista científica e, para mim, parece um divisor de águas”, disse Horby.

O molnupiravir é seguro?

Durante os testes realizados em pacientes doentes, foi descoberto que o molnupiravir é eficaz contra as variantes Gama, Delta e Mu da covid-19, reduzindo o risco de hospitalização e morte.

Para entender os efeitos da medicação, foram realizados testes com 775 participantes em um estudo clínico randomizado e duplo cego, usando o molnupiravir e placebo. Além disso, todos os pacientes tinham mais de 18 anos e fatores de risco para a covid-19.

Segundo estudos realizados pelas fabricantes, até o 29º dia do tratamento, o remédio ajudou pacientes com efeitos leves e moderados da covid-19 — já nos testes realizados com placebo, 8 pessoas faleceram.

No Brasil, as empresas responsáveis pelo remédio realizaram testes clínicos em algumas cidades e já estão em negociação com os órgãos responsáveis — assim como aconteceu com a agência reguladora no Reino Unido, por aqui é necessário a aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).