(Fonte da imagem: ThinkStock)

Normalmente, assuntos que envolvam asteroides próximos do planeta falam sobre deixá-los o mais longe possível e impedir que eles colidam com a Terra. Mas o Arstechnica mostra que o processo contrário virou até objeto de estudo: trazê-los para a órbita terrestre para mineração é tema de vários projetos espaciais.

Uma comissão da Casa Branca teria proposto, por exemplo, que um asteroide considerado pequeno (que pesa cerca de 10 toneladas) fosse atraído para perto da Estação Espacial Internacional. Para alcançá-lo, seriam necessários módulos espaciais ou até astronautas equipados com a vestimenta adequada.

Já o Keck Institute for Space Studies (KISS) descobriu em uma pesquisa que ao menos 17 organizações da área estariam interessadas na atração de asteroides para as proximidades do planeta – tudo para minerar e estudar essas rochas, economizando uma fortuna em pesquisas científicas.

Mas o processo é complicado: após identificar um asteroide, são necessários de sete a dez anos para que ele seja direcionado e chegue ao local indicado (isso com a tecnologia totalmente desenvolvida, o que ainda não é o caso). Quem está interessado na área – e pode ser o pioneiro a colocar esse tipo de projeto em prática – é James Cameron, que lidera uma empresa de exploração espacial ao lado da Google.

Cupons de desconto TecMundo: