Coronavírus: Brasil começa a aplicar terceira dose da vacina em setembro

1 min de leitura
Imagem de: Coronavírus: Brasil começa a aplicar terceira dose da vacina em setembro
Imagem: Jair Ferreira Belafacce/Shutterstock
Avatar do autor

Pessoas com mais de 80 anos e pacientes com o sistema imunológico debilitado — que fizeram transplante de órgão recentemente, têm alguma doença ou passam por tratamento de saúde que limita a resposta imune — poderão receber uma terceira dose da vacina contra a covid-19 a partir de 15 de setembro.

Segundo a CNN Brasil, o anúncio foi feito pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, na noite de terça-feira (24).

Na última semana, os Estados Unidos anunciaram que uma terceira dose da vacina estará disponível para a população norte-americana após o dia 20 de setembro.

VacinaçãoPessoas recebem vacina contra a Covid-19 em Londrina, no Paraná (Fonte: Isaac Fontana/Shutterstock/Reprodução)

A variante delta, mais transmissível que as versões anteriores do Sars-CoV-2, é o principal motivo para a disponibilização de uma terceira dose. Além de passar de pessoa para pessoa com maior facilidade, a delta consegue “furar” a proteção dada pela vacina em algumas pessoas.

Estudos recentes vêm mostrando que as vacinas aprovadas para uso até o momento aumentam a proteção após uma terceira dose, mas cientistas ainda preferem aguardar mais dados antes de “bater o martelo” sobre a necessidade de aplicar uma dose adicional em toda a população.

Inicialmente, há algum consenso na comunidade médica e científica sobre a aplicação da terceira dose nos mais vulneráveis às formas graves da doença e à morte causada pela covid-19.

Essas pessoas têm, de maneira geral, um sistema imunológico mais fraco, e foram as primeiras a receber as doses dos imunizantes na atual campanha de vacinação, o que indica que a proteção pode ter ficado menor com o passar do tempo.

A cidade do Rio de Janeiro, porém, se adiantou e anunciou que uma terceira dose começará a ser aplicada nos mais velhos no início de setembro.