Robô bípede consegue percorrer 5 mil metros; veja o vídeo

1 min de leitura
Imagem de: Robô bípede consegue percorrer 5 mil metros; veja o vídeo
Imagem: Oregon State University
Avatar do autor

Um recorde de corrida de 5 mil metros foi batido nesta semana, mas não por um atleta olímpico. A robô chamada Cassie completou o percurso em 53 minutos, sem nenhum tipo de apoio ou recarga de bateria. Tudo o que os seus criadores, da Universidade Estadual do Oregon, nos EUA, tiveram que fazer foi convencê-la a se levantar do sofá e ir à luta.

Cassie nasceu na Agility Robotics, uma empresa spin-off da OSU (Universidade Estadual de Ohio) criada no Dynamic Robotics Laboratory, com o objetivo de desenvolver um robô bípede. A robô corredora foi o protótipo da companhia, fabricado entre 2017 e 2019, e agora adotado em vários laboratórios de pesquisa.

A Agility Robotics, que trabalha atualmente em um upgrade de Cassie capaz de carregar pacotes, o Digit, sabe que as máquinas bípedes são pouco comerciais por enquanto. Embora possam trafegar pelos mesmos espaços designados para seres humanos, os bípedes são menos estáveis do que os robôs quadrúpedes da Boston Dynamics, por exemplo.

O aprendizado de Cassie

Embora seja inegável que os bots de quatro pernas sejam mais estáveis, a equipe de desenvolvedores da Cassie garante que isso poderá mudar tão logo novas técnicas de deep learning permitam que os próprios robôs “aprendam” novas formas de se estabilizar durante a locomoção.

Por enquanto, ainda há limitações. A própria Cassie caiu duas vezes durante o seu histórico percurso de 5 km: a primeira devido a um superaquecimento do seu cérebro de computador, e a outra por falha humana — o pesquisador que a estava controlando se confundiu na hora de uma curva muito fechada.

Otimista, o professor de robótica da OSU e cofundador da Agility, Jonathan Hurst, garante que os robôs bípedes logo se tornarão a norma, convivendo normalmente com humanos. “Robôs que irão trabalhar conosco e melhorar a nossa qualidade de vida”, escreveu ele no blog da OSU. Talvez a atual campeã dos 5 mil metros, a queniana Vivian Cheruiyot, já tenha com quem se preocupar na próxima Olimpíada.