Governo de SP anuncia postos de vacinação em estações do metrô

1 min de leitura
Imagem de: Governo de SP anuncia postos de vacinação em estações do metrô
Imagem: Pexels/Reprodução
Avatar do autor

O governo de São Paulo anunciou, nesta quarta-feira (12), que ampliará o número de postos de vacinação contra a covid-19 por meio da instalação de novas unidades nas estações de metrô da capital. As estações selecionadas, segundo o comunicado, são da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU). No dia seguinte ao anúncio (13), a medida já havia entrado em vigor.

A partir dessa mudança, a população poderá se vacinar em quatro pontos da CPTM: Guaianases (Linha 11-Coral), São Miguel Paulista, Jardim Helena-Vila Mara e Itaim Paulista, na Linha 12-Safira.

Postos de atendimento também estarão na estação Corinthians-Itaquera (Linha 3-Vermelha do Metrô) e no Terminal de Ônibus São Mateus da EMTU. Além disso, depois da segunda-feira (17), mais postos serão implementados nas estações República, Pinheiros e Butantã, da Linha 4-Amarela do Metrô.

O funcionamento dos postos será das 9h30 às 17h. Recomenda-se, para agilizar o atendimento no dia da vacinação, que as pessoas realizem um pré-cadastro no site Vacina Já. Para tanto, basta informar o nome completo, CPF, data de nascimento, endereço completo e telefone.

Andamento da vacinação em SP

a  Pexels/Reprodução 

Junto ao anúncio dos novos postos de vacinação, o governo também informou que pessoas entre 45 e 49 anos de idade que tenham comorbidades poderão receber o imunizante a partir do dia 21 de maio. Na data, serão vacinadas pessoas da mesma faixa etária com deficiências permanentes e que tenham cadastro no Benefício de Prestação Continuada de Assistência Social (BPC).

O governo prevê que 670 mil pessoas sejam vacinadas no primeiro grupo e, 25 mil, no segundo. O governador de São Paulo, João Doria, contudo, afirmou durante uma entrevista coletiva na quarta (12) que está articulando a liberação de insumos da China para o Brasil. Segundo ele, estão prontos 10 mil litros de insumos (o que daria cerca de 18 mil doses). No entanto, o governo chinês ainda não aprovou o seu envio.