Governo anuncia as empresas que irão explorar a Base de Alcântara

1 min de leitura
Imagem de: Governo anuncia as empresas que irão explorar a Base de Alcântara
Imagem: Agência Brasil/Reprodução
Avatar do autor

A Agência Espacial Brasileira (AEB) e a Força Aérea Brasileira (FAB) anunciaram, nessa quarta-feira (28), as primeiras empresas privadas selecionadas para operar o lançamento de veículos espaciais não militares orbitais e suborbitais na Base de Alcântara, no Maranhão.

Venceram o edital de chamada pública, lançado em maio do ano passado, as empresas Virgin Orbit, Hyperion e Orion AST, sediadas nos Estados Unidos, e a canadense C6 Launch. De acordo com a AEB, cada uma delas ficará responsável por operar uma unidade do Centro Espacial de Alcântara, considerado um dos melhores pontos de lançamentos espaciais do mundo.

O sistema de plataforma VLS, por exemplo, será operado pela Hyperion, enquanto o lançador suborbital ficou com a Orion AST e o aeroporto de Alcântara, localizado dentro da base, terá o controle da Virgin Orbit. Já a C6 Launch foi escolhida para gerenciar a Área do Perfurador.

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações Marcos Pontes participou do anúncio, em Brasília.O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações Marcos Pontes participou do anúncio, em Brasília.Fonte:  MCTI/Divulgação 

Depois do anúncio, as novas parceiras da autarquia vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) agora seguem para a fase de negociação contratual. A expectativa é que os primeiros lançamentos operados pelas empresas estrangeiras em Alcântara aconteçam no início de 2022.

Programa Espacial Brasileiro

A operacionalização da “Janela Brasileira para o Espaço”, como a base é apresentada pela AEB, pode ter impactos positivos no desenvolvimento do Programa Espacial Brasileiro, de acordo com o comandante da Aeronáutica Baptista Júnior.

Conforme o tenente-brigadeiro do ar, a iniciativa promoverá um intercâmbio de experiências essencial para aperfeiçoar o desenvolvimento de novos projetos e processos, além de contribuir para a evolução do mercado de serviços e da indústria aeroespacial nacional.

O ministro da Ciência e Tecnologia Marcos Pontes também comemorou a parceria com as empresas estrangeiras. “Nós lançamos, desde 2019 até agora, quatro satélites brasileiros. Muita coisa ainda vem aí”, disse. O lançamento de nanossatélites deve ser uma das prioridades a partir destes novos acordos.

Governo anuncia as empresas que irão explorar a Base de Alcântara