Viagem para a lua: astronauta revela ter alergia à poeira lunar

2 min de leitura
Imagem de: Viagem para a lua: astronauta revela ter alergia à poeira lunar
Imagem: Unsplash/Reprodução
Avatar do autor

Muita gente sonha com a possibilidade de ser um astronauta e poder viajar pelo espaço. Desde que o homem pisou na Lua pela primeira vez, essa vontade continuar firme e forte no imaginário popular. Agora, pense o seguinte: você sempre desejou ir à Lua e quando tudo finalmente acontece, você acaba desenvolvendo uma alergia à poeira lunar. Triste, não é mesmo? Pois isso aconteceu de verdade.

Esse astronauta azarado foi Harrison Schmitt, da Apollo 17, que pousou na lua em 1972. Sua missão na lua era coletar diferentes amostras do solo, o que o fez ficar diretamente em contato com a atmosfera lunar e desenvolver uma reação alérgica muito estressante por conta da poeira lunar. Schmitt compartilhou sua experiência durante um evento científico de 2019, ocorrido em Zurique, na Suíça.

(Reprodução)(Reprodução)Fonte:  Unsplash 

Segundo seu relato, após ser exposto à atmosfera da Lua, seu nariz ficou entupido e sua garganta irritada. Até mesmo sua voz foi afetada de um jeito que ele nunca tinha visto e sentido anteriormente. No entanto, após algum período sem contato com a poeira lunar, os sintomas foram desaparecendo. Schmitt ainda percebeu que depois de cerca de quatro vezes sentindo todas essas irritações, os efeitos cessaram.

Na entrevista, Harrison Schmitt, que atualmente tem 85 anos de idade, ainda disse que um outro funcionário da NASA, que também teve contato com os trajes usados na missão lunar — e consequentemente com a poeira da Lua —, teve uma crise alérgica bastante intensa. Ele teve de ser afastado do trabalho durante algum tempo para poder se recuperar.

Viagem para a lua pode ter mais variáveis do que se imaginava

(Reprodução)(Reprodução)Fonte:  Unsplash 

De acordo com alguns especialistas da NASA, a poeira lunar é um dos maiores desafios das missões lunares. Larry Taylor, diretor do Planetary Geosciences Institute, inclusive, relatou ao Science Times, que outros astronautas de diversas missões em direção à Lua também reclamaram de alguns sintomas comuns aos contados por Schmitt.

Dessa forma, a sugestão do astronauta da Apollo 17 foi de pedir à NASA para que os próximos tripulantes a pisar na Lua fizessem algum tipo de teste que pudesse assegurar que eles não fossem alérgicos à poeira lunar. Com isso, transtornos diversos poderiam ser evitados.

Alguns estudos, realizados por centros de pesquisa especializados no desenvolvimento espacial, já atestaram que essa poeira é diferente de todas as outras conhecidas pelos seres humanos no dia a dia.

O pó lunar, apesar de ter uma textura macia e uma aparência inofensiva possui estruturas com diversas pontas afiadas. Como não há elementos naturais como água e vento na Lua, essas partículas acabam não sofrendo nenhum tipo de modificação com o passar do tempo.

Além disso, são partículas extremamente microscópicas, podendo chegar ao pulmão de quem tiver contato com ela. Como é um material desconhecido, inflamações severas podem acabar gerando complicações graves.

A explicação para o desenvolvimento dessas alergias pode estar ligada diretamente com essas questões todas.

Viagem para a lua: astronauta revela ter alergia à poeira lunar