Cientistas usam acelerador de partículas para entender supernovas

1 min de leitura
Imagem de: Cientistas usam acelerador de partículas para entender supernovas
Imagem: Phys.org/Reprodução
Avatar do autor

Pesquisadores querem decifrar alguns mistérios das supernovas através de um experimento realizado no acelerador de partículas GANIL (sigla para Grand Accélérateur National d'Ions Lourds), localizado em Caen, cidade da França.

A equipe responsável pela pesquisa também espera entender melhor o papel dos neutrinos (popularmente conhecidos como "partículas fantasmas") na evolução dessas estrelas explosivas.

Essas partículas não são afetadas por campos magnéticos e possuem uma alta volatilidade. Embora sejam pouco compreendidas pela ciência, já se sabe que elas guardam muitas semelhanças com os elétrons, exceto pelo fato de serem menores e não possuírem carga elétrica.

O papel dos neutrinos nas supernovas

Registo de uma supernova.Registo de uma supernova.Fonte:  Mark Garlick para University of Warwick/Reprodução 

Para compreender as supernovas, que são estrelas em colapso, é preciso obter mais informações sobre os neutrinos. Isso porque a pressão na estrela antes da explosão causa uma combinação de prótons e elétrons, que libera uma grande quantidade de prótons e neutrinos.

Embora a ciência já saiba que 99% da energia emitida por uma supernova está na forma das partículas fantasmas, que são responsáveis por conduzir a explosão típica desse processo, ainda existem muitas dúvidas.

Através do acelerador de partículas GANIL, os cientistas pretendem descobrir o papel exato dessas partículas nesse processo e o que realmente acontece dentro da estrela.

Realização do estudo

Registro de uma supernova.Registro de uma supernova.Fonte:  Superinteressante R7/Reprodução 

Para alcançar esse objetivo, a equipe decidiu conduzir um estudo sobre a concentração de nêutrons na matéria nuclear excitada (ou seja, em um estado de elevação no nível de energia). Isso porque, quando o núcleo da estrela entra em colapso, os neutrinos podem ser capturados por nêutrons livres.

Esse estudo consiste na realização de colisões de íons pesados em um acelerador de partículas. O objetivo é reunir as propriedades termodinâmicas presentes na agregação de nêutrons e prótons, com uma densidade semelhante a das supernovas.

Se esse experimento for bem sucedido, toda a comunidade acadêmica se beneficiará e estaremos mais perto de compreendermos o funcionamento das supernovas.

Cientistas usam acelerador de partículas para entender supernovas