Cientistas descobrem uma molécula 'esquisita' na maior lua de Saturno

1 min de leitura
Imagem de: Cientistas descobrem uma molécula 'esquisita' na maior lua de Saturno
Imagem: NASA
Avatar do autor

A NASA publicou em seu site na terça-feira (27) que, através de um gigantesco radiotelescópio no Chile, uma equipe de cientistas conseguiu identificar uma molécula "esquisita" na atmosfera de Titã, a maior lua de Saturno.

A molécula em questão, desconhecida até mesmo entre alguns químicos, é o ciclopropenilideno, ou C3 H2. De acordo com os cientistas, essa molécula simples, baseada em carbono, forma partes das nucleobases de DNA e RNA, estruturas que carregam o código genético da vida, embora a descoberta não signifique necessariamente existência de vida em Titã.

Através do Atacama Large Millimeter/submillimeter Array, o composto de carbono e hidrogênio foi detectado quando a equipe media um espectro de assinaturas de luz únicas coletadas pelo telescópio. A composição química da atmosfera de Titã ficou evidente por meio da energia que suas moléculas emitiram ou absorveram.

Fonte: NASA/ReproduçãoFonte: NASA/ReproduçãoFonte:  NASA 

Titã poderia ser habitável?

Embora o C3 H2 já tenha sido encontrado antes em bolsões por toda a galáxia, achá-lo em uma atmosfera foi "realmente inesperado", segundo  o líder de pesquisa Conor Nixon, do Goddard Space Flight Center da NASA. Isso porque o ciclopropenilideno reage facilmente com outras moléculas com as quais entra em contato.

Porém, até agora os astrônomos encontraram o C3 Hsomente em nuvens de gás e poeira que flutuam entre os sistemas estelares, ou seja, em regiões extremamente frias e difusas para permitir a ocorrência de reações químicas.

Entretanto, ao contrário desses ambientes estéreis, pode-se afirmar que a atmosfera densa de Titã está fervilhando de atividade química. E foi justamente esse um dos principais motivos pelos quais os cientistas estão interessados nessa lua, que é o destino da próxima missão Dragonfly da NASA.

Os cientistas ainda não conseguiram entender por que o ciclopropenilideno aparece na atmosfera de Titã e em nenhuma outra mais. A maior das 62 luas de Saturno é, até o momento, o mundo mais parecido com a Terra já encontrado. Com nuvens, chuva, lagos e rios, além de um oceano de água salgada, Titã pode ser teoricamente habitável.

Cientistas descobrem uma molécula 'esquisita' na maior lua de Saturno