Apple Watch salva a vida de médico ao identificar doença cardíaca

1 min de leitura
Imagem de: Apple Watch salva a vida de médico ao identificar doença cardíaca
Imagem: Pexels
Avatar do autor

O Apple Watch salvou mais uma vida ao possibilitar a detecção de uma doença cardíaca grave. Desta vez, quem contou com o auxílio do recurso de eletrocardiograma (ECG) do dispositivo foi um médico da Califórnia (Estados Unidos), que compartilhou a sua história hoje (1º) com o 9to5Mac.

Segundo o veículo, o anestesista do Antelope Valley Hospital Donald W. Milne sentiu mais falta de ar do que o normal durante um treino físico e utilizou o smartwatch da Apple para fazer um ECG, na hora. Ao verificar o resultado, ele notou uma anomalia, e como não tinha histórico de problemas no coração, resolveu procurar ajuda médica.

Na consulta, Milne fez um novo exame, com o equipamento convencional, que não apontou nada. Porém, ao mostrar o resultado do teste feito pelo relógio inteligente, acabou sendo encaminhado a um cardiologista, para realizar um exame ainda mais completo e verificar a saúde do seu coração.

A capacidade de ler o ECG corretamente também ajudou a detectar o problema.A capacidade de ler o ECG corretamente também ajudou a detectar o problema.Fonte:  Pexels 

O angiograma feito por ele encontrou uma doença arterial coronariana crítica, que vai exigir a realização de uma cirurgia. No procedimento, marcado para o próximo dia 13 de julho, os médicos farão o desvio de alguns vasos do coração e a substituição da válvula aórtica em Milne.

Salvo pela tecnologia

De acordo com o anestesista, ele utiliza um modelo da primeira geração do Apple Watch, capaz de medir apenas a fibrilação atrial, um tipo de arritmia cardíaca caracterizada pelo aumento repentino dos batimentos cardíacos. A tecnologia, aliada à sua capacidade de interpretar as leituras do exame, foi essencial para identificar que havia algo errado.

“Sem o rastreamento do Apple Watch, eu nunca saberia que tinha uma doença, a tempo de poder intervir antes de ter um ataque cardíaco potencialmente fatal. O Apple Watch claramente salvou minha vida”, comentou.

O anestesista também contou ter enviado sua história para o CEO da Apple Tim Cook.

Fontes