O que havia antes do Big Bang?

2 min de leitura
Imagem de: O que havia antes do Big Bang?
Imagem: USTC/Reprodução
Avatar do autor

“No princípio, Deus criou os céus e a terra. A terra estava informe e vazia; as trevas cobriam o abismo e o Espírito de Deus pairava sobre as águas. E Deus disse: Faça-se a luz! E a luz foi feita.” Esse trecho bíblico do Livro de Gênesis instiga muita gente a perguntar o que existia antes de Deus criar a luz e, na sequência, os dias e as noites, o céu e a terra, os animais e vegetais e, por fim, o homem. O que havia antes?

Se formos hereges o bastante para fazer um paralelo entre Deus e o Universo, a resposta (ao menos, uma parte dela e mais científica) pode estar no artigo dos físicos Robert Brandenberger e Ziwei Wang, ambos da Universidade McGill, no Canadá, publicado em janeiro no repositório de artigos arXiv.

A teoria do Big Bang é tão popular que dá nome até a uma série de TV. Segundo ela, o Universo inteiro estava condensado em uma singularidade do tamanho de uma bola de tênis, há 13,8 bilhões de anos e a quatrilhões de graus. Em minutos, a bola explodiu, formando matéria e antimatéria, dia e noite, a humanidade, as estrelas e o cosmos como o conhecemos.

Evidências, só do nascimento

“Os astrônomos fizeram de tudo, desde observar a radiação eletromagnética restante do jovem Universo até medir a abundância dos elementos mais leves, e descobriram que tudo se alinha com o que o Big Bang prevê. Tanto quanto podemos dizer, esse é um retrato preciso do nosso Universo primitivo”, diz o astrofísico Paul Sutter em um artigo para o site Space.

Esse teria sido o nascimento do Universo. Quanto à morte, os cientistas divergem. Entre as teorias, a do Big Crunch (ou o Grande Colapso) diz que o Universo começaria a encolher por conta da atração gravitacional entre seus corpos, concentrando toda a energia de 10 trilhões de bilhões de estrelas e colapsando em um único ponto – uma bola de tênis densa e quente, pronta para explodir. Isso lembra alguma coisa?

Big Bang e Big Crunch, unidas, formam uma terceira teoria, a do Big Bounce, ou o Grande Salto. Com a explosão (de novo) do Universo, o ciclo se repetiria, e a matéria escura seguiria em seu papel de espalhar energia e matéria pelo Universo para que, aqui e talvez ali, a vida surgisse. É a teoria de um ciclo cósmico, que foi deixada de lado por falta de evidências ou novas ideias – até o artigo de Brandenberger e Wang.

O Big Bounce seria o recomeço cíclico do nosso Universo.O Big Bounce seria o recomeço cíclico do nosso Universo.Fonte:  De Evolutie Gids/Reprodução 

Se a física e a cosmologia conseguiram retroceder até quando o Universo tinha 380 mil anos de idade, falta saber o que havia entre esse momento e marco zero – os primeiros momentos do cosmos. Não existe (ainda) uma física que os explique. O trabalho dos dois pesquisadores mostra que a teoria do Big Bounce não está errada – os cientistas é que ainda não têm as ferramentas certas para estruturá-la corretamente.

“Robert Brandenberger e Ziwei Wang descobriram que, para explicar o momento do Grande Salto, é possível alinhar tudo para obter o resultado apropriado e observacionalmente testado. Mas, para testar esse modelo, teremos que esperar uma nova geração de experimentos de cosmologia,” diz Paul Sutter em seu artigo.

Leia tambémNeutrinos podem explicar um dos maiores mistérios da física

Comentários

Conteúdo disponível somente online
O que havia antes do Big Bang?