Mudança climática: degelo na Antártica e Groenlândia está 6x maior

1 min de leitura
Imagem de: Mudança climática: degelo na Antártica e Groenlândia está 6x maior
Imagem: Pixabay
Avatar do autor

O medo do degelo acelerado e aumento do nível dos mares ganhou mais um capítulo: segundo a NASA, o processo está 6 vezes mais rápido do que nos anos 1990. As medições foram feitas por 12 satélites, que monitoraram as regiões da Antártica e da Groenlândia. Se continuar nesse ritmo, a pior previsão do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) irá se concretizar, com estimativa de aumento dos mares em 17 cm até 2100.

A pesquisa foi tocada por 89 cientistas de 50 organizações internacionais diferentes. De acordo com as medições, Antártica e Groenlândia juntas perderam 475 bilhões de toneladas de gelo por ano durante a década de 2010 – um salto gigantesco em comparação aos 81 bilhões anuais dos anos 1990. Somado tudo o que já perdeu, desde o começo das medições há 3 décadas, ambas as regiões diminuíram em 6,4 trilhões de toneladas de gelo, fazendo o nível do mar aumentar em 17,8 mm.

Leia tambémDegelo expõe ilha desconhecida na Antártida

Água mais quente dos oceanos contribui para derretimento da camada de geloÁgua mais quente dos oceanos contribui para derretimento da camada de geloFonte:  Pixabay 

“Embora simulações em computador nos permitam fazer projeções a partir de cenários de mudanças climáticas, as medições por satélite fornecem evidências prima facie bastante irrefutáveis”, explica Erik Ivins, do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA, um dos líderes das pesquisas.

Os principais motivos para o degelo foram o oceano mais quente em contato direto com as geleiras da Antártica e a alta temperatura, que causa derretimento na superfície da camada de gelo. “Cada centímetro da elevação do nível do mar leva a inundações costeiras e erosão costeira, interrompendo a vida das pessoas em todo o planeta”, disse Andrew Shepherd, da Universidade de Leeds, na Inglaterra, o outro autor do estudo.

O pior ano da última década foi 2010, quando 552 bilhões de toneladas de gelo derreteram na duas regiões. Porém, as altas temperaturas registradas e os intensos degelos registrados na Groenlândia, no ano passado, podem fazer de 2019 o novo recordista, mas os estudos ainda precisam ser finalizados.

Veja tambémRecorde assustador: termômetros marcam mais de 18 °C na Antártida

Fontes

Mudança climática: degelo na Antártica e Groenlândia está 6x maior