“Troll” quase barrou fabricação de testes do coronavírus nos EUA

1 min de leitura
Imagem de: “Troll” quase barrou fabricação de testes do coronavírus nos EUA
Avatar do autor

Uma ação movida pela Labrador Diagnostics por pouco não impediu a criação de novos testes para diagnósticos do novo coronavírus nos Estados Unidos. A companhia processou a BioFire Diagnostics e a subsidiária francesa BioMériux por quebra de patente.

Segundo o site Business Wire, em 9 de março a empresa iniciou uma ação para proteger suas propriedades intelectuais. Contudo, a intenção do processo não era referente aos testes com Covid-19, mas por atividades realizadas pela concorrente nos últimos anos. Acontece que a Labrador é conhecida nos EUA como uma "patent troll", que vive quase unicamente de processos contra outras empresas que supostamente infringem suas propriedades intelectuais.

Labrador Diagnostics processou a BioFire por uso de tecnologias exclusivas para criação de testes.Labrador Diagnostics processou a BioFire por uso de tecnologias exclusivas para a criação de testes.Fonte:  New York Post/Reprodução 

Coincidentemente, em 11 de março, a BioMériux anunciou que tinha finalizado o teste que poderia diagnosticar os casos de coronavírus em tempo real. Então, o produto foi encaminhado para a aprovação do governo americano em caráter emergencial. No entanto, a ação poderia prejudicar o andamento desse processo.

De acordo com a Labrador Diagnostics, a empresa não tinha conhecimento prévio de que a subsidiária da BioFire estava trabalhando em testes do Covid-19; ela obteve as informações através de um comunicado à imprensa publicado após a abertura da ação. Portanto, diante da grave situação global, a companhia renunciou aos royalties.

Atualmente, a BioMériux está trabalhando em outros três testes de diagnóstico de SARS-Cov-2. Um deles, a versão totalmente automatizada, está sendo produzida em colaboração com o Departamento de Defesa dos Estados Unidos.

Um teste automatizado da BioMériux está sendo desenvolvido com a colaboração do governo americano.Um teste automatizado da BioMériux está sendo desenvolvido com a colaboração do governo americano.Fonte:  Eddie Gaspar/The Texas Tribune 

Um histórico cheio de más intenções

Com a notícia sobre o processo da Labrador Diagnostics, sites como o americano Extreme Tech acreditaram que havia uma má intenção por parte da companhia — infelizmente, ela faz parte de um fundo de investimentos gerenciado pelo Fortress Investment Group, que, nos EUA, não é visto com bons olhos. Em 2018, eles gastaram mais de US$ 400 milhões comprando diferentes propriedades intelectuais. Segundo a página, o motivo do investimento seria processar empresas de tecnologia por violação de patentes.

Em 2019, a Intel e a Apple moveram ações contra a Fortress alegando que diversas companhias ligadas a ela estavam tentando prejudicá-las. Isso porque elas acionaram processo de quebra de patente que requeria bilhões de dólares de indenização.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
“Troll” quase barrou fabricação de testes do coronavírus nos EUA