Saturno além dos anéis: conheça mais sobre esse impressionante planeta

2 min de leitura
Imagem de: Saturno além dos anéis: conheça mais sobre esse impressionante planeta
Avatar do autor

Saturno encanta os apaixonados por astronomia desde muito tempo: seus anéis são os maiores do Sistema Solar. Apesar disso, o planeta tem muito mais peculiaridades sobre as quais não estamos acostumados a ouvir.

Você sabia que Saturno é o planeta menos esférico de todos? Por conta de sua rápida rotação, os dias por lá duram pouco mais de 10 horas e meia. Isso fez com que seu equador se tornasse 10% maior que a circunferência pelos polos, algo que acontece em todo planeta, mas não com tanta desproporcionalidade. Outro fator interessante sobre a rotação é que ela faz com que ele seja o menos denso do Sistema Solar.

Seu diâmetro é nove vezes maior do que o da Terra; mesmo assim, o nosso planeta é oito vezes mais denso do que ele. Formado principalmente pelos gases hélio e hidrogênio, a sua densidade é menor — até a água é mais densa do que ele, apesar de que ele não necessariamente flutuaria em uma piscina gigantesca.

Já sobre seus famosos anéis, é impressionante a distância que eles estão do planeta: o mais largo deles, chamado Phoebe, está entre 6 milhões e 16,2 milhões de quilômetros distante de Saturno. Para efeito de comparação, a Lua está a "apenas" 384 mil quilômetros da Terra. Isso faz a gente se lembrar da nossa insignificância cósmica.

Comparação do tamanho de Saturno em relação à Terra. (Fonte: NASA)

Tempestade e padrão geométrico

A cada 20 anos ou 30 anos terrestres, Saturno é atingido pelas Grandes Manchas Brancas, que são tempestades colossais e periódicas descobertas em 1876. Em 2010, a sonda Cassini passou pelo planeta e registou a última vez que esses eventos climáticos aconteceram; a tempestade tinha 2,5 mil quilômetros de comprimento, o equivalente à distância de Brasília ao Chuí, no Rio Grande do Sul; já a largura era de 1,3 mil quilômetro, que é praticamente igual à distância entre Brasília e Curitiba, no Paraná. Mas isso foi só no começo da tempestade: em 6 meses, ela já tinha se estendido por toda a circunferência do hemisfério norte.

O polo norte de Saturno tem um padrão de nuvens que forma um hexágono gigantesco de 32 mil quilômetros. No interior dele está um furacão, descoberto em 1988, que ainda mantém sua intensa atividade.

Polo norte com seu hexágono de nuvens e o furacão ao centro. (Fonte: NASA)

Os anéis e as luas

Os famosos anéis são a atração principal do planeta, constituídos basicamente de gelo, rocha e poeira. Alguns são menores que grãos de açúcar, enquanto outros podem atingir o tamanho de uma casa. Outro dado interessante é que a espessura dos anéis é muito fina, menor do que uma folha de papel. Estima-se que eles surgiram entre 10 milhões e 100 milhões de anos atrás, quando um cometa ou uma lua coberta de gelo se aproximou da atmosfera saturniana e foi destruído por sua gravidade. Já o planeta em si tem cerca de 4,5 bilhões de anos; ou seja, os anéis vieram muitíssimo tempo depois.

No ano passado, foi divulgada a descoberta de 20 novas luas em Saturno, elevando o total para 84 — o planeta com a maior quantidade delas em todo o Sistema Solar. Algumas estão dentro do sistema de anéis, e a mais impressionante é Titã, a segunda maior do Sistema Solar, que é recheada de mares, lagos e rios de metano líquido e etano. Essa lua também tem atmosfera, e se supõe que tenha atividade vulcânica; porém, em vez de expelir lava, os vulcões jorrariam água. Impressionante, não é?

Titã em sua cor natural. (Fonte: NASA)
Saturno além dos anéis: conheça mais sobre esse impressionante planeta