Com perda de brilho e formato, Betelgeuse apresenta comportamento bizarro

1 min de leitura
Imagem de: Com perda de brilho e formato, Betelgeuse apresenta comportamento bizarro
Avatar do autor

Recentemente, foi noticiado que a estrela Betelgeuse estaria prestes a explodir – algo entre agora e 100 mil anos. A realidade, entretanto, pode ser ainda mais imprevisível. Pesquisadores analisaram imagens obtidas pelo Observatório Europeu do Sul, localizado no Chile, e notaram que Betelgeuse está bizarramente diferente: seu brilho está em apenas 36% do habitual, enquanto sua forma parece ter mudado.

Betelgeuse está localizada na constelação de Órion, tem entre 900 e 1,4 mil vezes a circunferência do Sol e está distante entre 520 a 650 anos-luz da Terra. Sendo uma das estrelas mais brilhantes vista de nosso planeta, sua eventual supernova será visível a olho nu, mesmo durante o dia, criando um espetáculo nos céus. Porém, esse momento pode estar mais longe do que havíamos pensado.

“A estrela supergigante vermelha Betelgeuse está passando por um escurecimento sem precedentes”, escreveu o observatório após analisar as imagens capturadas entre o final de dezembro e o começo de janeiro. Curiosamente, isso não afetou a estrela totalmente, já que apenas uma parte dela está emitindo menos brilho, além de aparentemente ter se deformado. Os motivos para isso? Por enquanto, só existem especulações...

Confira a mudança de Betelgeuse entre o começo e o final do ano passado. (Fonte: Miguel Montargès – Observatório Europeu do Sul)

Uma das teorias é que uma mancha solar gigantesca tenha criado o enfraquecimento notado aqui da Terra. Elas são comuns – até o Sol as têm –, mas dificilmente se tornam tão grandes a ponta de mudar até o formato da estrela. Outra possibilidade é que uma gigantesca célula convectiva tenha resfriado e afundado, dando a impressão de menos brilho e mudando o formato do tradicional esférico.

O astrônomo Miguel Montargès, da Universidade Católica de Leuven, na Bélgica, que coordenou as observações da estrela, também levanta outras possibilidades. “Pode ser um resfriamento local da superfície que faz com que a estrela pareça assimétrica ou uma nuvem de poeira escondendo parte da estrela”, explica, em entrevista ao The New York Times. Quando uma supernova está em formação, ela se torna muito instável e solta camadas de gases que poderia criar a nuvem.

E ainda que um escurecimento não fosse tão alarmente, o comportamento normal seria de seu brilho voltar ao normal rapidamente, algo que não tem sido notado. Ainda que isso indique que Betelgeuse esteja prestes a se tornar uma supernova, é impossível prever quando isso irá acontecer.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Com perda de brilho e formato, Betelgeuse apresenta comportamento bizarro