Nesta terça-feira dia 20 de novembro, além de se comemorar o Dia da Consciência Negra no Brasil, é o aniversário de 20 anos do lançamento da Estação Espacial Internacional, a ISS, e a importância dela é imensa no campo da exploração espacial moderna.

A missão Expedition 1, lançada em 2 de novembro de 2000, levou os primeiros astronautas que habitariam temporariamente a ISS

A ISS é constituída por módulos, como um grande brinquedo de montar girando em torno da Terra no espaço. Mas de brinquedo ela não tem nada: a estação espacial é um verdadeiro laboratório em órbita onde inúmeros países já realizaram – e ainda realizam – os mais diversos experimentos científicos e de onde obtêm dados importantes para o avanço da tecnologia como um todo.

O início de tudo

No dia 20 de novembro de 1998, o primeiro módulo de todos, chamado Zarya, foi lançado ao espaço por um foguete russo. Essa primeira parte fornecia o básico para o funcionamento da estação, como propulsão para o controle de localização e altitude, o fornecimento de energia elétrica e um sistema de comunicação. Nos meses seguintes, outros módulos foram sendo acrescentados à estação para que ela funcionasse por completo e fosse capaz de receber seus primeiros tripulantes.

A missão Expedition 1, lançada em 2 de novembro de 2000, levou os primeiros astronautas que habitariam temporariamente a ISS. Eles eram o norte-americano William Shephard e o russo Sergei Krikalev. Desde então, um total de 220 de 17 países estiveram dentro da Estação Espacial Internacional para realizar diversos tipos de pesquisa.

Legado espacial

O desenvolvimento da Estação Espacial Internacional continua a todo vapor, com novos componentes agendados para serem acrescentados à estrutura principal ainda em 2018 e em 2019. Com toda certeza, muitas informações importantes para a humanidade ainda serão obtidas por meio da ISS enquanto ela estiver nos observando lá de cima.