O Centro de Rádio e Astronomia de Astrofísica Mackenzie (CRAAM), da Universidade Presbiteriana Mackenzie, em São Paulo, está de mãos dadas com a Agência Espacial Brasileira (AEB), a NASA e outras entidades nacionais em uma pesquisa de observação espacial que pode ajudar na preparação diante de desastres naturais.

Dados obtidos também contribuem para a calibração da rede GPS

Batizado de Geodésia Espacial, o projeto usa a técnica Very Long Baseline Interferometry (VLBI), em um sistema emprestado pela NASA. Com isso, é possível detectar pequenos desvios do eixo de rotação da Terra e analisar a relação com atividade sísmica direta ou indireta, como no caso de tsunamis. Esse monitoramento pode também avaliar o impacto de distúrbios geofísicos e da atividade cíclica do Sol.

Os dados são obtidos no Rádio Observatório Espacial do Nordeste (ROEN), localizado em Eusébio/Fortaleza (CE), e são integrados e correlacionados com os de outros observatórios ao redor do planeta, contribuindo para a calibração da rede GPS. "Apesar de ser conhecida há mais de 60 anos, a utilização da técnica VLBI para estudos geofísicos ou de prevenção de desastres é inovadora e isso se deve à precisão extrema dos dados”, explica o responsável pelo projeto e coordenador do CRAAM, Jean-Pierre Raulin.

"Prestamos serviços para a rede mundial de pesquisas científicas, utilizando os produtos para apoiar estudos astronômicos e geodésicos, obtendo resultados importantes. Um avanço significativo recente foi a firme intenção dos parceiros em continuar a colaboração, renovando o projeto até 2019 e fortalecendo o preparo e formação das equipes em níveis de graduação e pós-graduação, através de estágios técnicos de treinamento na sede da NASA."