No dia 21 de janeiro deste ano, a companhia aeroespacial neozelandesa Rocket Lab colocou em órbita uma estrela artificial com um propósito quase romântico: levar ao espaço um objeto que teria como único objetivo ser visto a olho nu por pessoas ao redor de todo o mundo. Chamado de “The Humanity Star”, ou A Estrela da Humanidade, essa tranqueira espacial não durou muito tempo lá em cima.

Segundo o presidente da empresa, Peter Beck, o seu ponto luminoso artificial, que mais se parece um icosaedro gigante, já começou o seu retorno para a Terra. O objeto começou a cair e, felizmente, como não é muito grande, deve ser totalmente incinerado no momento da reentrada na atmosfera terrestre, não deixando qualquer detrito grande o suficiente para causar algum problema.

Peter BeckPeter Beck ao lado de sua Humanity Star.

A Humanity Star não tinha qualquer propósito científico e não é exagero afirmar que ela visava apenas ser enxergada sem equipamentos especiais por seres humanos de várias partes do planeta. Segundo a sua página oficial, ela foi criada para ser “um símbolo no céu noturno a encorajar todo mundo a olhar para cima e ponderar sobre o lugar da humanidade em meio ao universo.”

Enquanto esteve em órbita, a “estrela” permaneceu girando rapidamente para tentar refletir a luz do Sol com os seus 76 painéis refletores. Feita para durar pouco, ela já tem data marcarada para o seu fim: dia 22 de março, também conhecido como amanhã. Ao final de tudo isso, teremos um lixo espacial a menos circulado ao redor do planeta Terra.

Cupons de desconto TecMundo: