Você sabe onde acaba a Terra, ou a nossa atmosfera, e começa o espaço? Pode parecer uma pergunta um pouco boba, mas é o alvo de muitos estudos de cientistas heliofísicos que se beneficiar com o novo lançamento da NASA: o satélite da missão GOLD, que vai examinar a resposta da atmosfera superior ao impulso do Sol, a magnetosfera e a atmosfera mais baixa.

A GOLD vai ser lançada juntamente com um satélite comercial que nada tem a ver com os trabalhos da NASA, o SES-14

A missão vai coletar dados sobre a composição e a temperatura da ionosfera, indo de uma altitude de cerca de 60 km acima da Terra para mais de 1.000 km. “Nós realmente gostaríamos de provocar os efeitos do Sol acima na Terra abaixo", disse Sarah Jones, cientista da missão GOLD.

A GOLD vai ser lançada juntamente com um satélite comercial que nada tem a ver com os trabalhos da NASA, o SES-14. É a primeira vez que a agência espacial norte-americana “pega carona” em um lançamento comercial para levar ao espaço um satélite científico. O objetivo é economizar dinheiro, o que aparentemente deu certo: a missão vai custar “apenas” US$ 55 milhões, ou R$ 178 milhões. O lançamento será feito na Guiana Francesa no dia 25 de janeiro.

Segunda parte

Um segundo satélite vai seguir o caminho do GOLD para estudar mais do comportamento da ionosfera – e não apenas para fins acadêmicos, mas para melhorar x'as transmissões de onda de rádio em nosso planeta. A missão ICON vai orbitar a Terra em um lugar mais baixo e só será lançada por volta de outubro, quando as informações coletadas pela GOLD começam a ser capturadas.

Tudo só vai ser encerrado em 2020, quando finalmente os cientistas vão ter uma noção muito melhor de como funcionam as fronteiras de nosso planeta com o espaço.