Não é novidade para ninguém que a NASA costuma ter planos de prazo extremamente longo. Mas as preparações do órgão para sua missão de exploração de Alpha Centauri vai fazer parecer que a viagem para Marte em 2030 está logo ali: embora já esteja sendo trabalhado pela JPL (o braço da NASA responsável por desenvolver suas tecnologias de propulsão), o envio de uma sonda para o sistema deve acontecer apenas em 2069.

Achou a distância de 52 anos absurda? Acredite, isso não é nada. De acordo com a revista New Scientist, a expectativa é que a chegada da sonda ao seu destino levaria 44 anos – e esse mesmo tempo para voltar, na melhor das hipóteses. Isso quer dizer, é claro, que nenhum de nós provavelmente estaria aqui para ver os resultados dessa empreitada.

Caso a tecnologia necessária para a viagem surja dentro dos próximos 50 anos, só teremos resultados dessa empreitada em 2157

O motivo para tal “demora” nos planos é bastante simples: a tecnologia necessária para tornar essa viagem realisticamente viável ainda não existe, visto que Alpha Centauri está a 4,4 anos-luz de distância. Logo, a JPL espera que, até a data prevista para o lançamento da sonda (que deve ocorrer próxima do aniversário de 100 anos do primeiro pouso tripulado na Lua), os sistemas de propulsão tenham evoluído ao ponto de alcançar 10% da velocidade da luz.

Seja como for, não há como negar que os planos dessa empreitada são incrivelmente ousados – ainda mais considerando que a NASA passa por frequentes cortes de orçamento e mudanças de foco a cada ano. Vamos torcer que esse não seja o caso para essa iniciativa.