A China tem sido um dos mercados de celulares que mais rápido crescem no mundo – para a Apple, já é maior que o dos Estados Unidos –, mas, no primeiro trimestre de 2015, o envio de aparelhos às lojas caiu 4% em relação ao mesmo período do ano passado.

No primeiro trimestre de 2015, o país recebeu 98,8 milhões de celulares, o que configurou a primeira contração em seis anos quando se compara um ano para outro (em 2014, o número foi de 103,2 milhões). Em termos de trimestre, o último foi 8% menor que o período de outubro a dezembro de 2014.

"Smartphones estão se tornando cada vez mais saturados na China", avalia Kitty Fok, diretora administrativa da IDC na China. "As pessoas pensam frequentemente que o mercado chinês é emergente, mas, na realidade, a maioria dos telefones vendidos na China é composta por smartphones, similar a outros mercados maduros como Estados Unidos, Reino Unido, Austrália e Japão".

"Como nesses mercados, convencer os usuários existentes e os de feature phones (telefones não inteligentes) para trocar por um smartphone será a chave para crescer mais no mercado chinês", analisa.

No primeiro trimestre do ano, a Apple foi a companhia que mais enviou celulares para a China. Foram 14,5 milhões de aparelhos, o que dá uma fatia de 14,7% do total. Em seguida, vem a Xiaomi, com 13,5 milhões (13,7%), acompanhada pela Huawei, com 11,2 milhões (11,4%). Essas são as companhias que aumentaram seu domínio no país, enquanto a Samsung (9,6 milhões) e a Lenovo (8,2 milhões) caíram.

Cupons de desconto TecMundo: