Três das maiores empresas de tecnologia do mundo estão trabalhando duro para fazer com que seus sistemas operacionais não fiquem limitados aos computadores, smartphones e tablets. Estamos falando de Google, Microsoft e Apple, que já mostraram diversas novidades relacionadas ao mundo dos automóveis. Isso mesmo, as gigantes tecnológicas estão com muita vontade de invadir o seu carro.

Mas quais seriam as formas escolhidas para que elas consigam fazer isso? É claro que elas não podem apenas instalar os seus sistemas operacionais portáteis nos veículos. Por isso, têm acontecido investimentos bem interessantes em diversos ambientes: desde o desenvolvimento de SOs para computadores de bordo até as parcerias com montadoras bem conhecidas pelos consumidores.

Está curioso para saber um pouco mais sobre esses investimentos? Então confira agora mesmo como estão os trabalhos das três empresas já mencionadas para a chegada dos sistemas embarcados em computadores de bordo de todo o mundo. Será que você já escolheu o seu favorito?

CarPlay: a aposta da Apple

“Conectividade” é a palavra que pauta o desenvolvimento de aplicativos e sistemas operacionais nos últimos anos. E é com base nela que a Apple decidiu criar os sistemas embarcados do CarPlay, que funciona de um modo bem interessante. O sistema é totalmente integrado à Siri para garantir que os motoristas possam realizar todo o controle sem precisar tirar as mãos do volante — o botão de ativação fica nele.

Ele utiliza o Apple Maps para garantir facilidade na navegação por GPS — incluindo os recursos de “curva a curva” para os motoristas. Além disso, também dá acesso às ligações e mensagens de texto recebidas pelo celular ao qual está conectado e permite o controle rápido do som automotivo — que pode reproduzir músicas que estejam armazenadas no celular e, no futuro, também em aplicativos nas nuvens.

Dependendo da fabricante dos carros ou dos aparelhos em que o CarPlay será instalado, ainda é possível utilizar uma série de outras conexões. Por padrão, o SO será conectado aos iPhones por meio de conexões Bluetooth, mas é possível que as parcerias resultem em dispositivos com docking stations ou cabos especiais para facilitar as conexões.

Até o momento, já existem 29 montadoras de automóveis que estão com contratos fechados com a Apple. Entre as mais conhecidas dos brasileiros estão: Fiat, Peugeot, Kia, Toyota, Nissan, Ford, Chevrolet, Audi, BMW, Honda, Ferrari, Mercedes-Benz e Volvo. Quanto às fabricantes de aparelhos, por enquanto apenas a Alpine e a Pioneer estão confirmadas.

Android Auto: o que há além do Google Maps?

Navegador de GPS, aplicativos de controle de música e sistema de integração com smartphones para receber e responder mensagens de texto por meio de recursos de voz. Parece que estamos falando do CarPlay outra vez, mas a verdade é que estamos citando os principais recursos do Android Auto, que foi anunciado pela Google durante a conferência Google I/O deste ano.

Não há muitas diferenças entre os dois sistemas operacionais. É claro que os aplicativos utilizados por cada um deles são bem diferentes, mas as semelhanças são bem evidentes. O Android Auto usará o Google Maps para oferecer vários recursos de navegação aos consumidores, e isso pode ser um ponto positivo — uma vez que o app é mais consolidado no mercado do que o Apple Maps.

Por outro lado, o sistema da Google possui uma montadora parceira a menos do que o CarPlay — eram oito a mais, mas um novo anúncio da Apple mudou essa história. Quanto aos aparelhos, a gigante de Mountain View deve se sair melhor no começo das vendas. Até o momento, JVC Kenwood, Alpine, Panasonic, Pioneer e Parrot já confirmaram parcerias com ela.

E o Windows?

Alguns conceitos de sistema operacional da Microsoft já foram vistos em algumas conferências da empresa. Um caso bem conhecido ocorreu durante a Build deste ano, quando a empresa mostrou o “Windows in Car”, que funciona da mesma maneira que os outros sistemas já mencionados neste artigo — mas com a interface do Windows Phone 8 e a assistente pessoal Cortana, é claro.

Já existem alguns planos concretos para o início da produção desses sistemas, mas não é possível dizer exatamente o que esperar das montadoras parceiras. É claro que a Microsoft possui algumas cartas na manga, mas pouco foi divulgado oficialmente até hoje — por isso não há como dizer exatamente quando surgirão novidades mais concretas. Também precisamos nos lembrar de que a empresa de Redmond já flertou com as montadoras no passado.

O sistema Ford Sync — que integra smartphones aos carros da Ford — é totalmente baseado no sistema operacional embarcado Windows CE, que também equipa uma grande quantidade de navegadores GPS. O grande problema disso é a falta de uma uniformidade para os consumidores, o que faria com que um “dono de Fiat” não conseguisse utilizar fluidamente o “sistema da Ford”.

Quando tudo isso será uma realidade?

Para o mercado dos Estados Unidos, já é possível comprar um carro com sistemas operacionais mais complexos. Hoje, estão disponíveis alguns modelos baseados no Windows CE — o mais conhecido é o Ford Sync, já mencionado —, e até o final do ano devem chegar às lojas também os automóveis com o Android Auto. Para o CarPlay, a Apple já anunciou que carros mais antigos com computadores de bordo de alguns modelos poderão ser atualizados para receber o SO.

Sync utilizado em alguns carros da Ford

No ano que vem, uma série de veículos deve ser lançada no mercado norte-americano com os dois sistemas embarcados. Já no Brasil, a história deve ser um pouco mais complicada. Carros com computadores de bordo desse tipo ainda são uma raridade por aqui e, devido ao atraso natural das tecnologias automotivas, é bem pouco provável que os vejamos em menos de cinco anos.

Por que eles são melhores que sistemas independentes?

O grande trunfo dos sistemas operacionais criados por desenvolvedoras é a facilidade do uso, principalmente para mercados em que os veículos são trocados em poucos anos — como acontece bastante na Europa e nos Estados Unidos. Havendo um padrão nos sistemas operacionais, os consumidores vão poder trocar de modelos e montadoras e continuar com o mesmo SO aos quais já estão habituados.

É nesse ponto que os consumidores devem encontrar mais vantagens. Além disso, é claro que nós precisamos citar as possibilidades trazidas pelos novos softwares. Interagir com os smartphones e fazer com que os navegadores GPS sejam mais completos e tragam diversas possibilidades para todos. No futuro, é bem possível que até mesmo apps de terceiros — como o Waze — possam ser usados nos carros.

.....

Como já dissemos, ainda deve demorar alguns anos para que possamos ver esses sistemas em funcionamento nos automóveis vendidos aqui no Brasil. É de se esperar que algumas importadoras tragam veículos com eles, mas, para a grande maioria da população, deve demorar algum tempo até que tudo esteja disponível. Você usaria um carro com os sistemas operacionais citados aqui?