(Fonte da imagem: Reprodução/Automotive News)

A corrida por novas tecnologias que visam tornar automóveis vendidos ao consumidor comum em veículos inteligentes já tem participantes como a Volvo, Audi, Ford, Mercedes e Google. Agora a lista deve ganhar mais uma grande empresa, porque, ao que tudo indica, há grandes chances de a General Motors estar se projetando para também desenvolver carros dessa categoria.

Durante uma conferência de investidores esta semana, perguntaram ao presidente da GM, Dan Ammann, se ele achava que carros autônomos já estariam entre nós em 2020, e ele não hesitou em responder: “Eu ficaria muito surpreso se isso não tiver acontecido até lá”.

Ammann, no entanto, falava sobre as competências tecnológicas para trazer isso à realidade e não sobre questões relacionadas à viabilidade comercial — sem contar que há todo um processo de regularização pelo qual esses veículos terão de passar, após lançados.

Quando questionado quanto ao futuro da conectividade nos carros, Ammann se manteve evasivo. Sem esclarecer muito, comentou: “O carro conectado mudará fundamentalmente a indústria.”